Aquela dos sorrisos, das decepções, das alegrias e das tristezas. Aquela que não quer saber de mais nada, além dela mesma. Aquela que não espera nada de ninguém, muito menos que esperem dela.

Não peça mais do que possa dar, peça conselhos, carinho, chamego, sem muito grude, por favor, mas apenas não peça que viva por você. Aquela lá, só vive por ela mesma e já está de bom tamanho.

Ela não gosta de gente fresca, gente vaga, gente que não gosta de encarar o mundo de todas as formas, de gente que não quer correr riscos, de gente que não quer se apaixonar... Por si mesmo.

Aquela não é de se esperar mais do que alegria. Mas também muita frustração. Não vá achando que você é o mundo dela, muito menos seu tudo, sinto muito, mas ela não é de ninguém.

Ela é da música, da cultura, dos movimentos, das artes. Ela é da luz, do escuro. Do medo e da coragem.

Aquela lá gosta de ler um bom Scott Fitzgerald, observar o céu, andar dançando e cantando pela rua, e quem disse que se importa com seus olhares maldosos?

Gosta também dos fogos de artifício anunciando um novo ano. Dos raios e chuvas. Ela ama a vida e principalmente, ama a si própria.

Você não é a sua prioridade, não espere ver ela se casando, ela é da geração que não é namorável, ninguém a conhece, afinal, o verdadeiro ela, é só dela.


Deixe um comentário