Oi.

Não sei como começar. Desculpa.

Posso tentar de novo?

Fingimos que nada aconteceu.

Olha, vou ser bem sincera, não sei como estou escrevendo, nem por qual motivo. São palavras soltas. O engraçado é que não sei descrever essa situação. Como quero um texto então?!

O que está acontecendo não tem muita descrição, não foi algo que fez a vida ficar assim. Ela só está. É aquele momento em que você aceita a situação e concorda. Mas a bola de neve sempre faz um caos no final. Esse é o problema. Quando estamos no topo da escada, descobrimos que tudo valeu a pena, todos os problemas ou o que você considera um. A questão é que o topo nunca dura muito tempo, e a queda é tão grande que quando você tenta subir novamente, os degraus parecem maiores.
Eles são iguais, desculpa pela sinceridade.

Parece baboseira da minha parte, mas é só comigo ou o mundo tá mais monótono que o normal?!

Queria dizer também, que não quero mais isso, se a vida é essa brincadeira, eu quero "descer do play", a verdade é que eu não sei jogar. Se depender, não quero nem aprender.

Espero que você me entenda.

Gostaria de me desculpar por todo mal que já causei em boa parte das pessoas em minha volta, por ter as decepcionado mais do que faço normalmente com meus pais.

Pedir pra sair de todas essas atividades que faço, não seria ruim. Dar um tempo. Dar uma sumida. Todavida, minha mãe costuma dizer, como metade do mundo, "querer não é poder".

Olha, tenho realmente muito o que falar, o suficiente para quererem botar um tampão na minha boca. Infelizmente não aprendi como, ainda. Um dia isso tudo passa, espero.

Enquanto eu não aprendo, não paro de assistir minha própria vida passando como se fosse de outra pessoa, não sei. Vou continuar aqui, para qualquer coisa, mas lembre-se, no silêncio, por favor.

Algumas coisas não devem ser ditas em voz alta.


Deixe um comentário