Foto: Cecília Justen

Ei! Tudo bem?
Por aqui está uma confusão só, nunca estive tão empolgada com um final de livro! 

No mês de Junho a Editora Arqueiro lançou mais uma obra do maravilhoso Ken Follett. Para quem não sabe, ele sempre foi e sempre será um dos meus autores favoritos, e agora ele chegou mais uma vez brilhando com um livro que eu já posso dizer: É o melhor livro que eu já li até agora em 2017.

Empolgada do jeito que sou, não pude aguentar por muito tempo. Quando o livro chegou em minhas mãos, comecei a ler e não parei mais. E quando terminei, vim correndo até o blog para começar mais uma resenha para vocês!

Sinopse: Freya é o nome da deusa nórdica do amor. Também é o codinome da mais recente invenção nazista, de acordo com uma mensagem interceptada pelas forças aliadas. A inteligência britânica desconfia que é graças a ela que os alemães estão conseguindo abater os bombardeiros ingleses a uma velocidade tão alarmante. Hermia Mount, uma analista do MI6, é recrutada para ajudar a descobrir qual é essa nova arma. Tendo morado a vida inteira na Dinamarca, ela possui contatos valiosos que poderão auxiliá-la em sua missão. Do outro lado do mar do Norte, numa ilha dinamarquesa ocupada pelos alemães, o estudante Harald Olufsen descobre uma instalação estranha dentro da base militar nazista. Ele não sabe o que é, mas não se parece com nada que já tenha visto, e ele precisa contar para alguém. Em Copenhague, o detetive Peter Flemming colabora com os alemães para desvendar quem está repassando informações de dentro do país nórdico para os aliados britânicos. Numa Europa praticamente dominada pela Alemanha, a vida dessas três pessoas se entrelaça de forma irreversível, e quando um decrépito avião bimotor se transforma no único meio de fazer a verdade chegar até as forças aliadas, o destino delas poderá mudar o rumo da guerra – e da história.

Foto: Cecília Justen

Páginas: 416 | Autor(a): Ken Follett | Editora: Editora Arqueiro | Gênero: Romance

Sabe o tipo de livro que você tem muita preguiça de pegar para ler, mas quando decide realizar a ação não consegue parar mais e ama cada palavra que sai da história? Então, O Voo da Vespa é exatamente assim. Bom, pelo menos foi isso que aconteceu em todos os momentos comigo.

A história começa bem desprevenida. Temos personagens ingleses preocupados com os bombardeios constantes em seus aviões, sem eles ao menos saberem o motivo. Depois vamos para o ponto de vista de Harald, que está indo para sua casa, mas prefere cortar caminho para chegar em sua residência mais rápido. Nessas daí, Harald acaba passando pela base militar nazista que se encontra em sua cidade, curioso do jeito que é, acaba vendo uma espécie de radar extremamente peculiar. A história vai para Hermia, personagem que além de ser noiva de um dinamarquês, passou boa parte de sua vida vivendo na Dinamarca. Ela é uma das representantes dos Vigilantes Noturnos, então acaba sendo encarregada de tentar achar alguma pista que pudesse explicar o motivo dos aviões ingleses serem constantemente bombardeados, sendo que os alemães nunca tiveram uma tecnologia tão avançada quanto à Inglaterra. Por fim, conhecemos melhor a história quando ela é narrada por Peter, detetive que apesar de ninguém ter pedido, começa a buscar informações sobre grupos clandestinos que se voltam contra os nazistas.

Depois de não possuir mais nenhum representante na Dinamarca, graças a Peter, Hermia se vê na necessidade de voltar ao país em que tanto passou sua vida para falar com seu noivo, Arne. Assim, se ele aceitasse ajudar, Hermia teria uma chance de conseguir fotografias do radar que tanto atrapalhava os ingleses. Com os alemães começando a dominar a União Soviética, Arne aceita e ainda pede ajuda de seu irmão, Harald, que apesar do irmão mais velho não saber, o mais novo da família já estava envolvido na situação toda depois de ver o radar. Assim então, Harald sai em busca de fotos que pudessem ajudar Arne, Hermia e consequentemente, a própria Inglaterra. Depois de muitas confusões que deixaram meu coração apertadinho, Harald tem mais uma missão, chegar até o país da rainha para entregar as tais fotos. Porém, além de não possuir gasolina, o único avião que ele achara era de madeira e precisava de alguns concertos, o que deixava a probabilidade dele chegar vivo até a Inglaterra quase nula. Por não saber pilotar, Karen, irmã de seu melhor amigo, decide enfrentar todos os perigos e diz que vai pilotar o avião enquanto os dois tentam fugir da Dinamarca.

Foto: Cecília Justen

Quando li que a história seria sobre Segunda Guerra Mundial, apesar de amar essa temática nas histórias, já imaginei algo mais dramático, uma história pesada que me fizesse chorar. Todavia, já vou adiantando que nada disso aconteceu. A obra é ambientada na Dinamarca e na Inglaterra, porém a Dinamarca não foi invadida pelos alemães, ela só foi ocupada com o governo aceitando os nazistas sem nenhum questionamento. O que foi algo bom, pois o país se encontrava em "paz", mas ao mesmo tempo era um problema, afinal, o fato de o país ter se rendido tão facilmente fez com que muitos habitantes ficassem revoltados com o jogo sendo entregue rapidamente. Harald é uma dessas pessoas.

Harald está prestes a terminar a escola e ingressar na faculdade. Ele não é o tipo de adolescente comum, na verdade, ele é muito inteligente e fez até mesmo uma moto que não utiliza gasolina para poder andar pela sua cidade. Ele se apaixona por Karen, a irmã de seu melhor amigo. Karen também não é lá uma adolescente comum, ela é bailarina e está prestes a estrelar como principal em um grande espetáculo. Ela é extremamente corajosa e faz de tudo para ajudar em todos os projetos que Harald tem em mente. Harald tem um irmão, Arne, que tem um "inimigo", Peter, um carinha aí que eu odiei em todos os segundos que ele apareceu. Peter Flemming é um detetive que faz de tudo para descobrir qualquer armação contra o governo nazista e tenta desvendar os mistérios de Hermia, noiva de Arne e inglesa. Hermia, por sua vez, trabalha no MI6 e é uma das líderes dos Vigilantes Noturnos, grupo que ajuda a Inglaterra a receber informações primordiais sobre os ataques e projetos nazistas.

"- Você domina igualmente o inglês e o dinamarquês, o que explica estar na chefia da seção da Dinamarca, imagino.
- Não, quem explica é a guerra. Antes da guerra nenhuma mulher no MI6 ocupava cargos acima do nível de secretárias. Não tínhamos mentes analíticas, sabe? Éramos mais adequadas aos trabalhos domésticos e à criação dos filhos. Mas, desde que começou a guerra, o cérebro das mulheres passou por uma melhoria notável e nos tornamos capazes de executar trabalhos que antes só podiam ser confiados à mente masculina.
Ele encarou o sarcasmo de Hermia com bom humor.
- Também notei isso. Milagres acontecem..."

E é assim que a história se desenrola. Se tiver uma coisa que eu amei, essa coisa foi o jeito como a obra foi narrada. O livro é em terceira pessoa, mas em cada capítulo temos o ponto de vista de um dos três principais da história. Isso deixou tudo mais emocionante, afinal, enquanto Harald está conseguindo ir para frente com seu projeto em seu capítulo, na próxima parte do livro, temos o ponto de vista de Peter, que está fazendo de tudo para ferrar os mocinhos da história. O próximo capítulo, a bagunça toda já aconteceu, Hermia, por exemplo, já está sofrendo os problemas que Peter arranjou.

No penúltimo capítulo, quando Harald está tentando fugir da Dinamarca com Karen, temos a presença do ponto de vista de todos os personagens principais. Uma parte Harald conta, na outra já é Peter tentando fazer com que o voo não aconteça e por último, mas nunca menos importante, tem Hermia tentando deter Peter. Nesse capítulo meu coração já estava em minhas mãos e em qualquer momento eu poderia ter um ataque enquanto lia a parte final da história. Você vai lendo e isso vai te causando uma ansiedade enorme em saber o que pode e provavelmente vai acontecer com seus personagens favoritos.

Em falar em personagens favoritos, posso dizer que na primeira metade meu coração estava totalmente entregue na bravura de Hermia, eu estava apaixonada por ela. Que mulher mais incrível! Na outra metade, meu coração já estava nas mãos de Harald, se eu o conhecesse, provavelmente seria louquinha por ele.

"Harald já ouvira o bastante. Levantou-se e falou sem esperar a permissão de Heis:
- E se os nazistas vierem prender Duchwitz? O senhor continuará aconselhando uma cooperação amistosa?
- E por que eles haveriam de prender o Sr. Duchwitz?
- Pelo mesmo motivo que prenderam meu tio em Hamburgo: por ser judeu."

Colocar aqui sobre a escrita de Follett é quase desnecessário, afinal, para quem conhece suas obras, sabe que ele é maravilhoso em todos os aspectos. Ele não é o tipo de autor que conta os mínimos detalhes, mas sabe muito bem ambientar um cenário para sua história. Ele não é o escritor que vai falar sobre um romance entre personagens sendo que está longe de ser seu foco, mas isso não é um problema. O cara é foda demais.

"Ritmo frenético e personagens maravilhosos e verossímeis. O forte caráter cinematográfico se torna evidente à medida que o leitor é conduzido por paisagens salpicadas de ilhas, terrenos planos e eletrizantes sequências aéreas. O fato de a trama ter sido baseada em acontecimentos reais aumenta ainda mais a tensão e o suspense." -The Good Book Guide

Porém, o fato de eu ter colocado logo no início dessa postagem que esse foi o melhor livro que eu já li em 2017 - até agora - não quer dizer que eu tenha sido 100% a favor dos mínimos detalhes dele. Na verdade, agradou-me somente 98%, mas convenhamos que isso já seja bastante coisa. Eu amo Ken Follett, talvez seja por isso que a minha porcentagem tenha sido tão alta, porém, ainda sim tive muitos problemas com o epílogo da história. Enquanto a obra me dava diversas emoções durante a leitura, emoções que eu já contei um pouquinho para vocês, a parte final me deixou tão vazia. E não achem que isso tenha sido de uma maneira boa. Dou 5 como nota para essa história com muito orgulho e com muita vontade, mas o final estava tão maravilhoso para do nada terminar de uma maneira tão vaga. Confesso que o autor parecia não saber como terminar e fez um epílogo meio sem graça. Mas como disse, amei a obra e isso não fez com que eu desistisse dela.

Tremi de emoção, berrei com os personagens enquanto lia e, obviamente, quis matar Peter Flemming em todos os minutos. Lembro-me que morri diversas vezes de medo quando seu capítulo começava, afinal, tudo ia bem com os outros personagens, mas sempre que vinha o ponto de vista dele, as coisas começavam a desandar para o lado dos mocinhos.

Se pudesse, leria a história mais algumas vezes para prestar mais atenção em alguns detalhes, já que apesar de ter demorado bastante tempo para ler a obra, eu fiz toda a minha leitura em semana de provas, então já podem imaginar a confusão que eu estava.

Estou louca para ler mais livros de Ken Follet, espero que ele continue mexendo com o meu coração como sempre fez. Que ele siga com essas obras que me deixam sem ar!

"- Passei um ano em Berlim na década de 1930. Vi aqueles palhaços marchando, levantando o braço, insultando as pessoas e quebrando as vitrines das lojas de judeus. Lembro-me de pensar que eles deviam ser detidos antes que fizessem aquilo com o mundo todo. Ainda penso assim. E essa é uma das minhas maiores convicções."

Nota: 5/5 ♥ 

Compre O Voo da Vespa | Amazon | Saraiva
Baixe um trecho de O Voo da Vespa | PDF


Um beijo e paz no coraçãozinho de vocês! ✩

32 Comentários

  1. Adorei sua resenha, sempre ouço bem à respeito dos livros do autor e tenho certa curiosidade. Adoro essa temática envolvendo guerra, fiquei bem curiosa com o livro. Amei as fotos.

    Beijos, GE.

    Blog: http://www.naturezaliteraria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ge!

      O autor é realmente maravilhoso e, assim que você tiver oportunidade, eu super incentivo e indico uma de suas obras para a leitura. Muito obrigada :)

      Beijos!

      Excluir
    2. Oi Cecília,

      Vou querer sim, são tantos livros bons que falta grana e tempo pra ler,kkk.Precisando urgente dos dois.

      Beijos.

      Excluir
    3. Te entendo completamente! Haha Por isso boa parte dos livros que já li foram por PDF... Fazer o quê, né non?!

      Beijos!

      Excluir
  2. Meu deus, essa resenha me fez pirar, estou até me sentindo no próprio mundo do livro, o que é incrível! Adicionado à minha lista de livros com sucesso :) Janini

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Janini!

      Estou muito feliz em saber que agora você se sente dentro do livro. Espero que você goste da leitura quando tiver a oportunidade de conhecer melhor :) Muito obrigada!

      Beijos!

      Excluir
  3. Olá!!

    Eu amo Ken Follet! Ele é sensacional mesmo!
    Esse ainda não li, mas depois dessa resenha tenho que ler o quanto antes.
    Acho as ambientações de seus livros impecáveis e perfeitas. Gostei muito também que vamos poder ter um pouco do ponto de vista dos três principais, acho que isso deixa mais emocionante a trama.
    E o que dizer das fotos!!! Ficaram linda!!!

    bjs

    http://www.condutaliteraria.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fê!

      Ahhhh! Fico muito feliz em encontrar outra pessoa que também gosta dele! Adorei saber que a minha resenha tenha te deixado com uma vontade de conhecer melhor a obra, fico muito feliz! Ele é sensacional! Muito obrigada :)

      Beijos!

      Excluir
  4. Olá, amei sua resenha eu não sabia do que esse livro se tratava fiquei curiosa para ler

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lara!

      Muito obrigada pela visita :) Fico muito feliz em saber que a minha resenha tenha te deixado curiosa!

      Beijos!

      Excluir
  5. Ei Ceci. Eu simplesmente adoro livros que falam sobre guerras e tal.
    Eu sempre vejo fotos dos livros dele, inclusive sempre que tá na promoção
    eu fico instigada para comprar, mas acabo não comprando porque nunca tinha lido
    nenhuma resenha dele.

    Então com certeza quando eu vir livros dele na promo eu vou arriscar e comprar um.
    Tomara que eu goste tanto quanto você!!

    Suas fotos como sempre estão lindas!

    Beijos
    Literatura Estrangeira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Anne!

      Ahh! Eu adoro encontrar pessoas que também gostam dessa temática <3 Os livros são incríveis e às vezes eu também acho umas promoções por aí, cria coragem e compra um, você não vai se arrepender. Fico muito feliz em saber que a minha resenha tenha te despertado alguma vontade, espero que você também goste. Muito obrigada :)

      Beijos!

      Excluir
  6. Menina eu estou super afim de ler esse autor faz alguns meses, mas ainda não consegui encaixar pq os livros são meio grandes e estou no meio de Outlander e IT que já são 2 calhamaços! hahah
    MAs esse com certeza será um dos que vou procurar pra ler! Adoro enredos com esse pano de fundo histórico.
    As fotos ficaram bem criativas, parabens!!!

    osenhordoslivrosblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei!

      Tenta arranjar um tempinho, acho que você não vai se arrepender. É, Outlander e It são dois livros enoooormes, to tentando criar coragem para ler a obra do SK. Fico muito feliz em saber disso, espero que você goste da história :) Muito obrigada!

      Beijos!

      Excluir
  7. Olá, Cecilia!

    Que fotos lindas no post, achei a premissa do livro bastante complexa e instigante, parece um enredo desses de tirar o fôlego. Não conhecia o autor, mas vou procurar mais sobre ele já que ele aparenta ser bastante talentoso. :D

    Um beijo, Carol
    Blog com V.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Carol!

      O livro é bem complexo mesmo, mas a leitura é tão boa e leve que você acaba fluindo junto com a obra. O enredo é tudo nessa história. Procure sim, acho que você vai amar :) Muito obrigada!

      Beijos!

      Excluir
  8. Oi, Cecília! Tudo bem?
    Menina, tenho um livro aqui do Ken, mas ainda não tive coragem de ler, kkk. É o "Os Pilares da Terra". Mas fico feliz por ler que ele, realmente, é um bom escritor. Fiquei bastante curiosa com esse livro e vou colocá-lo na minha lista. Amooo livros estruturados com esse tipo de narração, deixa o leitor muito mais apegado à história. Já li livros com diversos pontos de vista e funcionou muito pra mim, terminei o livro rapidinho e, apesar de ser longo, não me senti cansada. Eu não gosto de finais vagos também, mas apesar disso vou dar uma chance pro livro só pela sua empolgação, haha.
    Beijooos e parabéns pela resenha.❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Mirelle!

      Como assim? Leia o mais rápido possível "Os Pilares da Terra", juro para você que é incrível e que você vai amar o autor! Fico muito feliz que você vai dar uma chance para "O Voo da Vespa". Nesse livro, essa questão dos pontos de vista ajudam mesmo, a história acaba se passando muito rápido. Muito obrigada :)

      Beijos!

      Excluir
  9. Olá, a história parecer ser como contos intercalados não curto muito livro que aborde o assunto da guerra mais fiquei interessada na premissa do livro.

    www.mundofantasticodoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Camila!

      É, se você não gosta muito de livros que se voltam para guerra, "O Voo da Vespa" não é a melhor opção para você. Mas você pode conhecer outras obras do autor, ele é incrível, talvez você se interesse por "Os Pilares da Terra". Obrigada pela visita :)

      Beijos!

      Excluir
  10. Amo livros que não me deixam parar de ler haha, não conhecia esse ainda, mas já ameeei, anotado na listinha :)
    Lindo blog.

    https://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/?m=1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Monyque!

      "O Voo da Vespa" vai te encantar então! Muito obrigada :)

      Beijos!

      Excluir
  11. Não conhecia esse livro, mas sua resenha me fez viajar neste universo e adicionar na minha lista para comprar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Emily!

      Fico muito feliz em saber que a minha resenha tenha te deixado interessada na história. Obrigada pela visita :)

      Beijos!

      Excluir
  12. Olá, Cecilia! tudo bom? :)
    Nunca li nada desse autor e nem conhecia esse livro! Gostei bastante da premissa, eu adoro livros que se passam em uma das guerras, apesar de serem bem dramáticos. gostei da forma como esse é narrado, passando de personagem em personagem, acho interessante pois temos perspectivas diferentes e acabamos nos envolvendo com todos! Fiquei curiosa quanto ao fim, você falou tão empolgada haha quero saber mais agora. Acho que vou colocar na lista de leitura do skoob. Parabéns pela resenha, ficou maravilhosa!
    Beijos, Yasmim.

    Blog: https://literarte.blog.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Yasmim!

      O mais legal desse livro, é que apesar de falar sobre guerra, ele não é dramático. O final é realmente empolgante haha Fico muito feliz em saber que ele estará no seu skoob :) Muito obrigada!

      Beijos!

      Excluir
  13. Que resenha deliciosa, ainda nao tinha ouvido falar do livro e além de ter um nome interessante a história parece ser super bem desenvolvida e daqueles livros que a gente só larga no fim mesmo. Tua resenha ficou ótima, parabéns!❤❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Mari!

      O livro é desse jeitinho mesmo! Fico muito feliz em saber que você gostou da história :) Muito obrigada! ♥

      Beijos!

      Excluir
  14. Oi, Ceci. Gostei da forma como escreveu sua resenha, deu pra sentir sua empolgação. Não conhecia a obra nem o autor. Foi uma ótima indicação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Laila!

      Fico muito feliz em saber que você gostou da resenha :) Procure um pouco mais sobre ele, aposto que você não irá se arrepender! Obrigada!

      Beijos!

      Excluir
  15. Até hoje não li nada do Ken, acho que pelo fato de ter me perdido na ordem dos livros. Agora lendo sua resenha, percebi o quanto você ficou animada com a obra, e isso me deixou interessada por conhecer mais. Vou incluir o Ken nas minhas próximas leituras!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei!

      Você pode ler aleatoriamente algumas obras que não vai ter problema :) Fico muito feliz em saber disso, de verdade! Inclua sim, você vai adorar! Obrigada pela visita!

      Beijos!

      Excluir