Foto: Cecília Justen

Ei! Tudo bem?

Finalmente chegou o dia de publicar a resenha que eu mais estava esperando. Esperei ansiosamente para falar com vocês sobre Fortaleza Impossível, um livro engraçado, apaixonante e que declara seu amor aos anos 80. Só de falar sobre isso vocês já devem imaginar o quão empolgada eu fiquei com a obra, certo?! Todo aquele cenário, as referencias musicais me encantaram tanto que eu só pude fazer uma coisa: Resenhar. 

Sinopse: Um trio de garotos esquisitos e uma nerd brilhante que esconde um grande segredo. Um inesperado romance que nasce em meio a computadores e disquetes. Um ousado e perigoso assalto para roubar a edição de maio de 1987 da revista Playboy, com imagens escandalosas de uma famosa apresentadora de TV. Todos esses elementos se unem para compor Fortaleza Impossível, um romance que fará você rir, se emocionar e recordar a maravilhosa sensação de se apaixonar por algo – ou alguém – pela primeira vez.

Foto: Cecília Justen

Páginas: 272 | Autor(a): Jason Rekulak | Editora: Editora Arqueiro | Gênero: Romance

Will é um garoto de 14 anos que passa as noites com seus dois amigos, Clark e Alf, enquanto sua mãe sai para trabalhar eles só estão sendo garotos de 14 anos. Até que um dia Alf descobre "a coisa mais incrível que já vi", ou seja, Vanna White nua na playboy. E é assim que o livro começa, com uma pequena missão: Conseguir a nova edição da revista. 

Obviamente, por serem menores de idade, eles não poderiam comprar a revista, então surgem várias ideias para conseguir a playboy. Eles chegam até a pedir para um cara maior de idade, mas ele assalta os meninos. Então a melhor solução que os mesmos encontram foi: Pegar a revista escondido e deixar o dinheiro no caixa. 

E é assim que se inicia mais uma tentativa. Tentativa que, obviamente, dá completamente errada. Entretanto, é nessa tentativa que Will conhece Mary Zelinsky, a filha do dono da loja. Estaria tudo bem se ela fosse apenas isso, mas na verdade, Mary é uma garota incrível - que sofre bullying por seu peso - que entende tudo sobre programação assim como Will, mas francamente, ela entende até mais do que ele. Uma amizade vai surgindo no meio do "assalto" a loja, mas além dessa amizade, surge um concurso: Concurso Anual dos Jovens Programadores. 

No dia em que conheceu Mary, ele voltara para casa apenas pensando em como participar do concurso. Olhou em todos os seus jogos e finalmente achou um que poderia ajuda-lo: Fortaleza Impossível. Infelizmente, o jogo estava tão lento que o mesmo não sabia o que fazer a tempo do concurso. 

Só que enquanto Will estava preocupado com programação, Clark e Alf estavam preocupados em arranjar a revista playboy, fazer cópias dela e vender para os alunos do colégio. E é assim que surge um novo plano: Com a ajuda de Tyler, aluno mais velho da escola que já trabalhou na loja do pai de Mary, eles entrariam escondidos à noite na loja para pegarem a revista. Só que havia um problema: O código do alarme. 

Will que já não se importava em ver Vanna White nua começou a ir contra esse plano, só que por não aguentar a zoação dos amigos, decidiu que iria participar de toda aquela situação. Assim então, ele decidiu ficar responsável em descobrir o código, logo, ele poderia passar mais tempo com Mary e os dois poderiam criar uma nova versão de Fortaleza Impossível, uma mais rápida e com design melhor. 

Tudo estaria bem se não fosse pelo real motivo que de ele estar ali.

"De repente tive vontade de estar a léguas de distância de Mary. Eu me senti idiota por ter tentado, e mais idiota ainda por ter mostrado a ela o jogo. Planet Will Software! Onde eu estava com a cabeça?"

O que falar sobre Fortaleza Impossível que eu só li uma vez, mas já considero muito? De verdade, quando acabei a obra, só sabia fazer uma coisa: Amar ela um pouco mais e reclamar por Jason Rekulak não ter mais livros publicados, independentemente de ser em português ou não. 

A história é leve, fluída e tem uma leitura muito fácil, o que não achem que seja um problema, é, de certa forma, o ideal para os assuntos que são tratados no livro. Jason não tem uma escrita densa e descritiva, ele só simplesmente fala o que tem que falar e ponto, mas por incrível que pareça, foi com essa forma que eu me senti muito mais nos anos 80.

Em um mundo cheio de programação, conhecemos toda a história pelo ponto de vista de Will. Seus medos, suas descobertas, suas decepções, suas notas a baixo da média, suas tentativas de conseguir uma revista, suas amizades, seus sentimentos e seu primeiro amor, são os focos principais de toda a trama.

"E eis o que acontecera. Após 14 anos de mau futebol, de basquete ruim, de notas deploráveis, e de fazer péssimas escolhas no quesito moda, após 14 anos sendo eu mesmo, eu não estava acostumado a elogios."

Fortaleza Impossível é o jogo criado por Will, mas com ajustes de Mary. A todo o momento é narrado uma parte do jogo enquanto eles vão alterando algumas coisas para que ele fique perfeito. Mas eu, assim como muitas outras pessoas, não entendo quase nada de programação, o que eu entendi do livro foi coisa que minha irmã falou sobre, já que ela fez curso disso há algum tempo. Então, não estava conseguindo entrar muito na onda do jogo em si, até que descobri a ideia mais genial que o autor poderia ter: O jogo de Fortaleza Impossível para computador. Sim! Você leu certo! É possível jogar Fortaleza Impossível pelo computador ou celular que você tem! A Editora Arqueiro criou um site em português que fala tudo sobre o livro e o jogo, mas o link do jogo é de autoria do escritor. O jogo está em inglês, mas se você não entende o idioma, fique tranquilo, você não precisa de um diploma para jogar Fortaleza Impossível. Ah! O autor já conseguiu 11.358 e se você ultrapassar a pontuação do mesmo, ele pediu gentilmente que você tentasse falar com ele.

"Mas, depois de ligar tudo e de ler o manual, fiquei espantado ao descobrir que o Commodore permitia que você criasse seus próprios jogos – aventuras espaciais, combates, corrida de carros, qualquer coisa que você quisesse. E, quando vi, estava viciado."

Uma das coisas que eu mais gostei foi o fato das descobertas que Will faz. Não pretendo dar nenhum spoiler, então tentarei ser o mais superficial possível. A gente entra na mente dele, nos sentimentos do personagem, então Jason conseguiu induzir o leitor a acreditar naquilo que Will acredita, a ver o mundo sob um ângulo diferente, o ângulo dele. Então enquanto o Will tá acreditando fielmente em algo, você também está, e quando a revelação surge, você, assim como o personagem, fica chocado com tudo. Sendo bem sincera, isso me agradou D-E-M-A-I-S, mostrou como a gente acredita em uma pessoa, como a gente tem certeza sobre quem ela é, mas no final de tudo, você não sabe de nada. E, às vezes, a pessoa não chegou a te enganar em nenhum momento, coisa que quase ninguém leva em conta no julgamento.

Clark e Alf só parecem meninos de 14 anos chatos quando eu falo sobre eles na resenha, mas não pense assim. Eles são extremamente engraçados e todos juntos formam uma espécie de Stranger Things, os amigos loucos por aventura que vão fazer muitas besteiras, mas ao mesmo tempo vão fazer várias coisas incríveis uns pelos outros. Também tem todo aquele cenário de anos 80, apesar da minha cabeça me levar sempre para New York de 2000.

Falando sobre personagens, preciso falar sobre a Mary. Meu Deus, que personagem mais maravilhosa! Ela faz muita besteira, você só descobre isso no final, ela é A programadora e uma personagem forte com um espírito lindo. Gostei muito como o autor colocou ela na história, ela não é o estereótipo de livro geek, ela não é nem a super nerd que todo mundo tem nojo e nem é a super gostosona burra que todo mundo ama por causa do corpo. Na verdade, Mary é humana, Mary pode ser eu, pode ser você, pode ser qualquer um. Como disse, ela faz coisas "ruins" que ela se arrepende, mas isso acontece com todo mundo, independentemente do nível que seja. Por isso que ela acabou se tornando minha personagem favorita, apesar de não ser a principal.

"Eu não sei onde ela arranjava aquela segurança. Era como dizer: a gente não precisa aprender todo o mandarim chinês; só precisa aprender o suficiente para traduzir o Discurso de Gettysburg. Mary tendia a acreditar que tudo era possível desde que a gente de dispusesse a tentar."

Precisamos falar sobre o final, e que final! Para quem acha que - como o livro parece algo mais bobinho e por muitos terem preconceito com esse lado mais geek - ele vai ser decepcionante, previsível ou linear, vocês estão muito enganados. O final é simplesmente surpreendente, eu não esperava nada daquilo, e olha que eu fui treinada por Sherlock Holmes para desvendar finais literários. Do fundo do meu coração, Fortaleza Impossível teve um dos melhores finais que eu já li. Não porque foi um final bom, mas sim porque foi algo realmente imprevisível. Todas as ligações, todas as surpresas fizeram com que esse livro tivesse outra cara quando você estivesse finalizando o mesmo. 

"Olhei-a nos olhos, para que visse que eu estava dizendo a verdade; fiz força para que acreditasse em mim. A Fortaleza Impossível era verdade. A Radical Planet era verdade. Tudo o que eu sentia por Mary era verdade."

Essa é só uma pequena questão que eu só entendi indo para o final da obra, mas acho muito válido comentar sobre, já que adoro essas ligações. A capa e a contra capa do livro fazem duas ligações diferentes na obra, ligações que eu A-M-E-I, achei incrível, pois ainda traz uma questão com o final que eu também delirei, então foi um conjunto todo que deixou esse livro mais legal. E isso tudo só se deve ao fato da Editora Arqueiro ter entrado de verdade na obra, afinal, essa capa é a capa brasileira.

"Tudo isso parecia loucura quando dito em voz alta – como declarar que você ia ser astronauta ou presidente dos Estados Unidos. Quando os adultos perguntavam o que eu queria ser quando crescesse, eu apenas dava de ombros e murmurava: 'Não sei'."

Leve, fluído, com uma escrita simples, Jane Rekulak me fez amar ainda mais os anos 80 com Fortaleza Impossível, livro que deveria ser lido por uma quantidade enorme de pessoas somente para distrair, para sairmos do mundo tenso que vivemos hoje em dia. Com essa história, você mergulha em um novo mundo, simples de ser entendido, mas cheio de reviravoltas. 

"Eu sabia que estava acontecendo algo extraordinário, embora não soubesse o nome que deveria lhe dar, e jamais deixaria que Alf ou Clark estragassem isso."

Nota: 5/5 ♥ 

Compre Fortaleza Impossível | Amazon | Saraiva
Baixe um trecho de Fortaleza Impossível | PDF


Um beijo e paz no coraçãozinho de vocês! ✩

18 Comentários

  1. Oii Cecília.
    Okay voce me convenceu que eu preciso ler esse livro. Caramba que livro bacana. Eu gosto de mais de livros retrô e por isso fiquei babando no livro, mas principalmente nessa garota incrível que é a Mary.
    Não sei nada de programação, mas quem tem irmão e amigos tem tudo então com certeza vou procura para ler.
    Beijos.

    Fantástica Ficção

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Jessica!

      Fico muito feliz em ler isso, de verdade! Espero que você goste da obra :) A Mary é a melhor personagem de todas, você vai amar!

      Beijos!

      Excluir
  2. Acho que o mais incrível é o tal jogo existir!!!
    Que ler, quero jogar, quero tudo! hahaha
    Linda resenha amiga :D fiquei super empolgada!!

    osenhordoslivrosblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei!

      Sim, e ele é muito divertido, fiquei dias jogando haha Muito obrigada, Vivi!

      Beijos!

      Excluir
  3. Olá!

    Desde que vi sobre a proposta do livro e toda a divulgação fiquei bem pasma, porque parece tudo tão palpável e foi tudo tão bem construído para os leitores, então, é realmente bem satisfatório. Eu adoro a aura que existe ao redor desse livro, eu sinto que preciso lê-lo em algum momento, sabe? Tem toda uma vibe muito legalzinha e amo livros engraçados, não sei o porquê, mas pelas características o associei ao John Green e eu amo John Green hahahaha Então, estou bem encantadinha e adorei a sua resenha!

    Um beijo, Carol
    blogcomv.org

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Carol!

      Sim, a obra é meio John Green em um mundo geek. Acho que consigo entender todo esse seu sentimento, às vezes sinto o mesmo e adoro a sensação. O livro tem realmente essa aura que você comentou, espero que você goste :)

      Beijos!

      Excluir
  4. Aih que amor.
    Sua primeira foto combina com a foto do perfil! Kkkkkkkkk
    Então menina, eu fiquei querendo ler, mas com medo de solicitar e odiar o livro
    porque achei que tinha uma pegada meio nerd/infantil sem graça!
    Mas depois da sua resenha eu super fiquei curiosa!
    Suas fotos estão lindas também!!!

    Parabéns pela resenha!
    Vou botar ele novamente nos desejados. Rs.

    Beijos
    Literatura Estrangeira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Anne!

      Ai meu Deus, nem tinha percebido haha Se você não tivesse comentado sobre, eu nem ia perceber rsrs
      Eu também fiquei com esse medo, mas acabei pegando por achar divertidinho e super leve, acabou que eu me apaixonei :) Muito obrigada!

      Beijos!

      Excluir
  5. Senhor!! Que resenha mais maravilhosa!! Quando comecei a ler já me veio um sorriso nos lábios, e amo livros que me fazem sorrir, ainda mas por trazerem um enredo, encantador, bem construído diferente ,e com personagens super cativantes.
    Saber que o jogo existe deixou tudo ainda mais legal. Já quero ler!! Amei a dica
    Beeijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei!

      Ahhh! Fico tão (mais tão) feliz em ler isso! Leia o livro então, você vai se apaixonar do início ao fim. O jogo é super divertido, vale a pena jogar mesmo que você não conheça a obra :)

      Beijos!

      Excluir
  6. Olá, tudo bom? Nossa, que premissa mais diferente. Eu nunca vi um livro com uma história assim, tão diferente de comum e com toda a certeza, criativa. Adorei demais a sua resenha e com certeza me despertou a vontade de ler o livro, parece tão divertido! Acho que daria boas risadas...

    Beijos
    Amor Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Aline!

      É, o livro é realmente criativo, várias surpresas ao longo da história. Muito obrigada :)

      Beijos!

      Excluir
  7. Oi Cecília! Que livro amorzinho. Exatamente o tipo de livro que amo ler. Não tão clichê e divertido.
    Adorei sua resenha, vou colocar esse livro na minha listinha de desejo.

    Beijinhos, Jenni.

    sinopsedoslivrosjenni.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Jenni!

      Sim, o livro é tão lindinho! Muito obrigada :) Espero que goste da leitura tanto quanto eu.

      Beijos!

      Excluir
  8. Oi Ceci!
    Eu amei esse livro! A forma como o autor destacou a importância da amizade e falou de uma época tão boa quanto os anos 80. Adorei as enrascadas que eles se meteram e shippei Will e Mary! Super interessante o joguinho que eles criaram. Espero ler outras obras do autor futuramente.
    Beijinhos!
    Camila
    http://leiturize-se.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Camila!

      Faço de suas palavras as minhas. O autor precisa publicar mais livros, principalmente depois de "Fortaleza Impossível", eu fiquei completamente encantada com os dois personagens principais e com toda a temática do livro :)

      Beijos!

      Excluir
  9. Olá, sua resenha ficou maravilhosa e já gostei do livro por ter trechos de músicas , ser dos anos 80 e tratar inumeros temas dentre ele o bullying . É um livro bem diferente, eu super curti, bjocas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei!

      O livro é bem diferente mesmo, todo com uma pegada geek. Muito obrigada :)

      Beijos!

      Excluir