Foto: Cecília Justen

Ei! Tudo bem?

Estou tão animada para realizar essa resenha! Isso tudo porque ela será feita de uma maneira diferente, afinal, quando falamos de Romance de Época, alguma coisa precisa ser diferente. Começo a escrever esta resenha quando terminei a primeira parte do livro e pretendo termina-la quando terminar a leitura na última página, diferentemente das outras vezes que sempre resenhei no final de tudo. 

Entretanto, não estou animada apenas por isso, estou animada porque estou falando de uma obra composta por contos de Julia Quinn, Mia Ryan, Suzanne Enoch e Karen Hawkins que juntas escrevem e retornam com Lady Whistledown, a melhor personagem já criada na série de livros Os Bridgertons. Então não sei o que esperar no final de tudo, mas estou louca para terminar essa história que mal começou, mas eu já estou mega empolgada!

Sinopse: Quem roubou o bracelete de lady Neeley? Terá sido o caça-dotes? O apostador? A criada? Ou o libertino? Londres está fervendo com as especulações, mas, se ainda restam muitas dúvidas, pelo menos uma coisa é certa: um desses quatro está envolvido no crime. Crônicas da sociedade de lady Whistledown, maio de 1816 Julia Quinn encanta... Um belo caçador de fortunas foi enfeitiçado pela debutante mais desejada da temporada. Agora ele precisa provar que o que deseja é o coração da jovem, não o dote dela. Mia Ryan delicia... Uma criada adorável e espirituosa está deslumbrada com as atenções românticas que tem recebido de um charmoso conde. Mas um relacionamento entre eles seria escandaloso e poderia arruinar a reputação dos dois. Suzanne Enoch fascina... Uma jovem inocente que passou a vida evitando escândalos de repente se vê secretamente cortejada pelo maior libertino de Londres. Karen Hawkins seduz... Um visconde que vaga sem destino volta para casa para reacender o fogo da paixão de seu casamento, mas descobre que sua linda e decidida esposa não será conquistada tão facilmente.

Foto: Cecília Justen

Páginas: 352 | Autor(a): Julia Quinn, Suzanne Enoch, Karen Hawkins e Mia Ryan | Editora: Editora Arqueiro | Gênero: Romance de Época

Como disse anteriormente para vocês, essa resenha vai ser um pouco diferente do que vocês estão acostumados a ver aqui no blog, pelo menos na questão estética e, eu espero que vocês gostem. Essa resenha vai funcionar como um diário, eu iniciei a leitura dia 20 de Novembro e li o primeiro conto, o escrito por Julia Quinn e como terminei, irei escrever sobre. Farei isso com cada conto separando em tópicos, para que cada conto tenha exatamente os sentimentos que senti quando terminei a leitura e, no final de tudo, vocês ainda terão um tópico com a resolução total da história. O mais legal disso tudo é que acabei de iniciar a resenha, mas não sei o que me espera.

Observação: Talvez essa postagem fique maior do que o esperado, então se você quiser um resumo de tudo é só descer até achar o tópico "Resolução", mas é bom ler o tópico "Base da história" para entender o assunto.  

Base da história:

"O evento mais cobiçado desta semana parece ser o iminente jantar de lady Neeley, a ser realizado na noite de terça-feira. A lista de convidados não é longa, mas também não é notavelmente exclusiva e, dadas as histórias que se espalharam sobre o jantar do ano passado, ou, para ser mais específica, sobre o cardápio, todos os londrino (em especial aqueles de maior circunferência) estão ansiosos para participar."

O jantar de lady Neeley tinha tudo para ocorrer como o planejado, mas para a sorte de Lady Whistledown, o roubo a pulseira da dona da festa aconteceu e agora a melhor fofoqueira de todos os tempos tem um ótimo assunto para comentar.

Depois da pulseira de lady Neeley ter tido uma pequena falha no fecho e a mesma ter pensando em deixar a mostra para todos apreciarem a beleza, ela simplesmente desapareceu e agora ninguém sabe como o roubo foi feito, não se sabe nem se foi um roubo ou se lady Neeley simplesmente perdeu, mas ela afirma que foi roubo, então, considerando que tenha sido, a maior questão é saber quem faria isso.

Lady Neeley se recusa a acreditar que tenha sido um de seus empregados, porém Srta. Martin (dama de companhia) está na lista do Whistledown, nela também temos Sr. Peter Thompson, soldado na batalha de Waterloo, lorde Easterly, principal suspeito e homem que largou a esposa voltando 12 anos depois, e Sra. Featherington, que eu sinceramente não entendi como ela se enfiou nessa história toda.

E é com esse acontecimento que 4 autoras incríveis de Romance de Época se juntam e escrevem 4 contos, cada uma contando uma história diferente de pessoas que por algum motivo, seja estando no jantar de lady Neeley ou sendo um suspeito, está envolvida com o desaparecimento da pulseira.

[Conto 1] O Primeiro Beijo - Julia Quinn

"Ele deveria parar. Tinha de parar. Mas não conseguia. Em algum lugar dentro dele, sabia que aquela poderia ser sua única chance, o único beijo que daria nos lábios dela. E não estava pronto para interrompê-lo."

Comecei a leitura não com expectativas elevadas, todavia sabia que iria me encantar pela história, principalmente por saber que seria algo leve e extremamente apaixonante. Então quando peguei o livro e iniciei a leitura não precisei me preparar. 

E nada melhor do que começar um livro com o conto de Julia Quinn, a rainha do Romance de Época. Julia nos apresenta pela primeira vez o que está acontecendo e ela apresenta isso com nada mais nada menos que Lady Whistledown nos contando que irá acontecer o jantar de lady Neeley. Assim então, entendemos a que ponto a história se encaixa.

Começamos a conhecer a história de Peter, um homem que "acabou" de voltar de Waterloo e perdeu no conflito seu melhor amigo, Harry. No jantar de lady Neeley ele acaba se deparando com Tillie, irmã de seu amigo que ainda se encontrava devastada pela recente perda. A amizade entre os dois acaba se tornando inevitável, afinal, Tillie descobre sobre os últimos dias de seu irmão enquanto, por causa de uma promessa, Peter a protege. Entretanto, Peter não está em Londres por causa de um jantar, sua função ali é conseguir uma esposa que, de preferência, tenha pelo menos algum dinheiro, já que ele não conseguiria sustentar a própria família. E se não bastasse tentar se esquivar de comentários sobre ser caça-dotes, agora ele é um dos principais suspeitos do roubo da pulseira de lady Neeley, fazendo então com que ele precise se afastar o mais rápido possível de Tillie, uma das últimas mulheres solteiras com uma grande fortuna e, a mulher que ele descobriu amar intensamente. 

Eu poderia ficar escrevendo eternamente para vocês sobre esse conto que me conquistou em menos de 100 páginas. Julia soube aproveitar toda a temática que ela tinha e construiu tão bem seus personagens que me senti amiga e próxima deles sem ao menos dar tempo para isso se fosse uma história como outra qualquer. 

Peter é um amor de pessoa, nenhum pouco "mocinho irreal" e que me deixou apaixonada por esse jeito dele. Ele ama Tillie, você sente isso logo de cara, mas ele não quer que ela deixe de viver sua vida "boa e tranquila" que o dinheiro traz para a mesma. Ele sabe que ele não tem condições suficientes e o melhor de tudo, Tillie também sabe e ela não se importa. Ela o ama mais do que poderia descrever e quer que os dois fiquem juntos mesmo que ela precise abrir mão de seu dote.

A obra é narrada em terceira pessoa, mas o foco está em boa parte do tempo no ponto de vista de Peter, o que me deixou mais empolgada ainda, já que eu simplesmente me encantei por ele e por todo esse jeito carinhoso que ele tem de tratar as pessoas. Ele não é um príncipe, ele é uma pessoa comum, mas é o melhor mocinho que Julia poderia ter criado para esse conto.

Em linhas gerais, não poderia estar mais satisfeita com esse primeiro contato com a obra. Amei rever Lady Whistledown e seus escritos afiados, os personagens nunca gostam, mas no final de tudo é sempre incrível. Gostei muito do casal principal e acreditei fielmente no amor dos dois em 100 páginas, coisa que é muito difícil de fazer, então, novamente, preciso falar que Julia (Rainha) Quinn começou esse livro nos mostrando que Romance de Época é um dos melhores gêneros já criados.


[Conto 2] A Última Tentação - Mia Ryan


"Ele avançou, pôs a mão na bela curva do traseiro de lady B. e encostou a boca aberta em sua nuca macia. Em vez do som sensual que esperava, a mulher deu um grito alto de surpresa e levantou repentinamente a cabeça dura, que acertou com força seu nariz. [...] Ele piscou os olhos enquanto parecia ver estrelas, e então notou olhos cinzentos e muito grandes encarando-o. Lady Brazleron, se ele bem se lembrava, tinha olhos azul-claros."

Ah, insira aqui diversos suspiros enquanto escrevo essa resenha e você a lê. Não conhecia Mia Ryan, nunca havia lido nada dela então imagina uma pessoa completamente despreparada entrando em um campo novo logo depois de ler Julia Quinn, uma das melhores escritoras de Romance de Época. Entretanto, não era só eu que precisava se preparar, Mia também precisava estar mais do que preparada para colocar seu conto logo depois de Julia e, olha... Ela ganhou muito mais meu coração.

O conto conta (amei como isso saiu) a história de Isabella Martin, sim a dama de companhia de lady Neeley e sim, uma das suspeitas do tal roubo da pulseira. Ela irá fazer em duas semanas 30 anos e mesmo que isso não soe como um problema para a mesma, alguma parte dela se sente triste por não ter conseguido realizar seus desejos, como ser beijada e, por incrível que pareça, seu maior problema em fazer aniversário no momento é o fato de fazer aniversário sem nunca ter sido tocada antes, bom, ela fora tocada/beijada pelo papagaio de lady Neeley, mas isso não conta muito.

O conto também nos mostra a história de Anthony, lorde Roxbury, que apesar de possuir 35 anos, ele é solteiro e prefere continuar com sua vida de libertino para evitar que se case tão cedo, porém, esse não é o desejo de seu pai que não se contenta com a vida que o filho leva. Por este motivo ele ordena que o filho faça uma festa e convide mulheres solteiras para que ele finalmente possa investir em alguém.

Obviamente uma festa não se arruma sozinha, e é por isso que lorde Waverly, pai de Anthony, decide contratar a decoradora das festas de lady Neeley, a pessoa que consegue fazer as melhores festas que todos já ouviram falar. Essa pessoa não é nada mais nada menos que Isabella Martin.

Entre confusões, Isabella e Anthony acabam se conhecendo, ficando cada vez mais próximos por causa do jeito de Bella de viver a vida plenamente e por causa do jeito de Anthony de ser muito mais sério do que deveria. Os dois ficam cada vez mais encantados, mas Anthony precisa de uma esposa de nome, não de uma filha de um sapateiro e Isabella quer ser independente, ela quer abrir seu próprio negócio de festas. O amor entre os dois pode acabar com todos os planos ou pode fortalecer tudo o que eles mais desejam?

De verdade, não sei o que esse conto tem de tão especial, só sei que é o melhor conto de Lady Whistledown Contra-Ataca até agora. Com menos de 60 páginas Mia conseguiu escrever uma história completa e ainda me deixou com gostinho de quero mais.

Ela fez personagens extremamente apaixonantes e contagiantes, impossível de descrever. Isabella é incrível, de verdade, não tenho palavras para escrever sobre sua força. Em poucas páginas consegui pegar toda a sua energia positiva, apesar de todas as perdas de sua vida. Ela ri de tudo, leva a vida em uma leveza só e, preciso repetir isso, ela ri de tudo, mas não ache que seja de um jeito chato, ela só está sendo ela mesma, não uma mocinha que precisa ser engraçada. E é desse jeito que ela conquista Anthony, personagem que é completamente diferente de Peter, enquanto no conto 2 nós temos um mocinho muito mais sério e sombrio, no conto 1 nós temos um mocinho que está ali para ser um amor de pessoa, então cada um vai ter uma paixão platônica naquele que mais convém. No meu caso, preciso constar que me apaixonei pelo Anthony, eu queria que ele fosse real porque eu com certeza sequestraria ele! Apesar de passar uma imagem mais sombria, ele é um doce de pessoa e que tem essa facha de libertino e eu não sei o motivo, afinal, como Bella diz, ele é um perfeito cavalheiro. Amei completamente os dois personagens.

Falando em amar, eu estou adorando essa questão de existir um tema central e algumas autoras super talentosas estarem escrevendo contos em volta dessa história. Eu imaginei que eu fosse gostar, mas não tanto assim. Foi muito legal ler sobre Isabella e Anthony enquanto eu via pedaços de um conto passado. Li sobre os personagens de A Última Tentação e em pedaços peguei referências de O Primeiro Beijo e, eu espero muito, que a experiência continue assim... Cheia de suspiros.


[Conto 3] O Melhor dos Dois Mundos - Suzanne Enoch

"- Você veio todos os dias?
- Eu disse que viria.
- Eles me disseram que você não tinha vindo. E me mandaram... sair para visitar todo mundo. [...]
Xavier assentiu devagar.
- Parece que algumas pessoas estão tão convencidas de que não combinamos que tentam forçar que a realidade justifique suas convicções."

Cheguei ao terceiro conto cansada, cansada de não saber uma pista do culpado do tal "roubo da pulseira" e quando entendi que a história seria de uma menina recatada e de um libertino que se apaixonam, quase que eu fechei o livro. Esse fato é bem estranho já que até o conto anterior eu estava toda empolgada, mas sinceramente, não estava a fim de ler novamente uma história parecida, seriam três vezes seguidas! Consegui dar uma chance para leitura no final das contas, e... Fascinei-me!

Charlotte é prima de Lady Sophia que se casou com o visconde de Easterly, um dos suspeitos do roubo da pulseira de lady Neeley, mas por causa de um escândalo envolvendo jogos de cartas, o visconde simplesmente fugiu de Londres e deixou lady Easterly sozinha por 12 anos. Esse fato abalou todo o nome da família de Charlotte, que agora, já recuperados, precisam passar escondidos pela sociedade e é claro, por Lady Whistledown. Charlotte estava indo muito bem nessa missão e, mesmo não estando muito feliz, iria se casar com lorde Herbert Beetly, até que conde Matson precisa largar o serviço militar e voltar para Londres depois da morte de seu irmão que o deixou como o herdeiro, inclusive, do título. Charlotte sabia de duas coisas: 1. Conde Matson nunca olharia para uma menina como ela. 2. Ela nunca poderia se envolver com um homem cheio de casos e que chegou a Londres já causando por onde passava. Entretanto, Charlotte podia olha-lo, afinal, olhar não tira pedaço, certo?! E é assim que seu amor platônico começa. Todos os dias ela o olhava passando por sua janela, passava por sua mesa em jantares propositalmente apenas para sentir o cheiro de seu perfume que a fascinava tanto, tudo para poder ficar o mais perto na medida do possível.

O que Charlotte não imaginava era que depois de um pequeno desentendimento com a mãe na frente de vários convidados, aonde ela defendia o visconde de Easterly, conde Matson a notaria e, não só isso, a entenderia. Depois de se esbarrarem mais algumas vezes, ele começara a sentir algo dentro dele crescer, mas ele precisa se casar e não pode ser com ela. Todavia, sem perceber, eles se encontraram e acabaram se amando cada vez mais. Infelizmente, Charlotte não tem o consentimento de sua família e agora, o amor deles precisa ser bem mais forte do que qualquer outra desaprovação para poderem ficar juntos e viverem felizes.

Ah, que livro mais fofo e conflitoso! Com certeza o com mais informações até agora. Enquanto as autoras anteriores escreveram apenas coisas lineares sobre amar a pessoa que, supostamente, não se deve amar, Suzanne escreveu sobre isso mais com um toque diferente, ela decidiu colocar um pouco de Romeu e Julieta, só que sem o lado tão dramático e tão pesado.

Como contei para vocês, não me empolguei muito com a obra no início, exatamente pelos contos anteriores serem parecidos, mas esse não, ele tem realmente um conflito: A não aceitação dos pais de Charlotte. E, isso não seria tão problemático se Charlotte não fosse quem ela é, mas se ela não fosse do jeitinho dela, o livro não teria a mesma graça. Ela é toda na dela, sempre fora acostumada a não chamar a atenção da sociedade e, por isso, sempre se sentiu um patinho feio. Outra coisa incrível nela é que ela não foi descrita em nenhum momento como "beleza exuberante/estonteante", ela sempre se sentiu simples, mas sempre foi vista por Xavier (conde Matson) como uma menina de "beleza natural" e, sinceramente, consigo visualizar completamente Charlotte e, não, ela não é um patinho feio.

Falando em Xavier, ele parecia realmente encantado por Charlotte, mas como a autora contou muito mais o ponto de vista dela, não consegui aceitar muito o amor de ambos. Em boa parte do tempo Charlotte parecia possuir um amor platônico pelo cara bonito que finalmente a notou e também a acha linda e atraente. Xavier parece gostar realmente de Charlotte, mas não ama-la. Em um momento ele estava "pegando geral", no outro estava montando uma lista de casamento, segundos depois rasgando a mesma e dizendo que iria se casar com Charlotte independente do que as pessoas fossem pensar disso.

Outra questão que eu não entendi muito bem, mas espero entender até o final da obra é: O que a história da Charlotte tem haver com o roubo da pulseira? Ela nem se quer aparece no segundo conto e quando aparece no primeiro é só dando um "olá" para Tillie. Eu, de verdade, quero muito entender qual é a ligação desse conto, ignorando a questão de Charlotte ser prima de lady Sophia, mulher de um dos suspeitos.

Em suma, o conto não é o melhor de todos, mas ele não perde seu encanto mesmo com esse detalhe do amor dos personagens. Na verdade, acredito que o livro seja realmente fascinante, me deixou com vontade de continuar a leitura e me encantou em certo momento pelo lado Romeu e Julieta que a história possuía.

Pretendo iniciar a última história com todas as cargas que guardei durante as leituras anteriores. Neste último, espero conhecer o que realmente aconteceu com a pulseira e entender melhor as ligações dos personagens de todos os contos.


[Conto 4] O Único para Mim - Karen Hawkins

"- Sophia, falarei com você, se não daí de dentro, daqui de fora.
- Enviarei um de meus criados para acompanhá-lo até em casa.
Max cerrou os punhos.
- Não faça isso.
- Ah! Pelo amor de... Max, você está bêbado!
- Posso estar bêbado, mas ainda sei o que quero. E quero você. Quer dizer, quero falar com você - acrescentou ele apressadamente."

O último conto, o conto que mostra a história de lorde Easterly, o principal suspeito do roubo da pulseira de lady Neeley. Nele não conhecemos apenas esse lado da história, mas conhecemos principalmente todo o conflito entre Max, lorde Easterly, e Sophia, lady Easterly, que fora abandonada por 12 anos por seu marido.

Entretanto, quando você começa a ler esse conto, você pode esquecer tudo o que os contos anteriores deram a entender sobre o caráter de Max. Logo nas primeiras páginas entendemos que o tal jogo que Max roubou, na verdade não aconteceu como realmente pareceu. Tudo ocorreu por causa do irmão mais novo de Sophia que colocou a culpa no marido de sua irmã, fazendo com que ele parecesse culpado. Sem saber o que fazer naquela situação e sendo acusado pela própria esposa, Max não conseguiu desmentir o ocorrido e acabou precisando sair de Londres, mas se recusou a levar lady Easterly, por simplesmente não querer submeter à esposa a um exilo. Infelizmente, Sophia só descobre a verdade anos depois, quando seu irmão mais novo está no leito de morte.

Apesar de todo o peso de culpa que ela carrega, decide participar do jantar de lady Neeley com seu irmão John, que é, por sinal, um dos melhores personagens de todos os contos de Lady Whistledown Contra-Ataca. Ela só não esperava encontrar ali, 12 anos depois, seu marido. Semanas antes ela havia enviado uma carta para ele pedindo a separação, mas não imaginava que ele estaria realmente ali ou, até mesmo, não conseguia acreditar que a carta havia chegado a tempo suficiente dele já voltar para Londres.

E é no meio dessa confusão de retorno que Max acaba se tornando o principal suspeito de lady Neeley, já que ele (supostamente) roubou em um jogo de cartas e o escândalo havia sido tanto que teve que sair da própria casa. Mas enquanto Max não se importa nenhum pouco com as acusações, Sophia está extremamente furiosa e pretende como forma de desculpas para o marido, descobrir quem roubou a pulseira de lady Neeley.

Obviamente, enquanto tentamos juntos de Sophia e Max descobrir quem roubou a pulseira entendemos como o amor deles ainda anda e se Max vai ou não conceder a anulação do casamento para Sophia.

Esse, pra mim, foi o segundo melhor conto, sem sombras de dúvidas. Amei cada palavra que saia da leitura, apesar do caso da pulseira ser resolvido de uma maneira bem frustrante. John, como disse anteriormente, é um dos melhores personagens de todo o livro, isso porque ele faz o que ele quer, isso inclui mandar uma carta para Max explicando toda a situação de Sophia. Nesse conto também temos o Max e ele é tão diferente do que eu imaginei! Ao contrário do que as outras histórias mostram, ele é um doce de pessoa que fez e ainda faz tudo por amor, eu queria o tempo todo berrar para Sophia dar uma chance para ele. Falando em Sophia, adorei como a personagem foi retratada, você consegue entender nitidamente a mistura de sentimentos dela, a culpa pelo o que fez com Max, mas ao mesmo tempo a raiva por ele ter a abandonado por 12 anos, mesmo que ele tenha a ajudado com tudo o que ela precisava durante todo esse tempo.

Outra coisa que eu amei muito foi o fato de ser completamente divertido. Max e Sophia se enfiam em cada uma para descobrir o mistério da pulseira que você acaba se apaixonando mais ainda pelos dois e rindo enquanto se encanta.

Escrevi para vocês sobre o final que explica quem roubou a pulseira, pra mim, essa foi a parte mais sem graça. Aconteceu muito rápido e, apesar de não ser sem sentido, acho que poderia ter sido trabalhado bem melhor. Felizmente, isso não acaba com todo o clima apaixonante da história.


Resolução

"O mistério da joia furtada foi enfim solucionado. Lady Neeley afirma que recebeu uma carta sucinta dizendo que sua pulseira havia sido encontrada e seria devolvida em seu devido tempo."

Não acredito que essa postagem está finalmente chegando ao final! Mas antes de terminar, prometi que deixaria uma conclusão para vocês, prometo ser pequena.

Resumindo, a obra em si é extremamente encantadora, você tem contos para cada gosto e para cada leitor amar de forma diferente. Gostei muito de como as outras autoras se destacaram, inclusive, Julia Quinn não teve o meu conto favorito, por mais incrível que pareça. Todas elas ganharam um espaço especial no meu coração de leitora de Romance de Época, espero ler mais obras das autoras.

Outra parte que eu gostei muito foi o fato da identidade de Lady Whistledown não ser revelada, então se você quiser ler, pode ler sem medo algum que em nenhum momento você vai ganhar spoiler de alguma obra de Quinn. Uma parte muito legal também é o fato de você poder ler os contos, já que eles não têm exatamente uma ligação entre eles. Em alguns momentos isso me incomodou, mas até que é melhor para ler exatamente o meu conto favorito.

Em geral, a obra me agradou bastante, apesar de ter pequenas falhas, mas nada que atrapalhe a leitura ao todo. Gostaria até mesmo que as escritoras se juntassem mais vezes para escreverem mais obras no estilo, acho que seria uma ideia genial e eu ficaria muito feliz.

Espero que, apesar dessa postagem enorme, vocês tenham criado coragem de ler até o final e tenham se fascinado pelos contos assim como eu. Foi, do fundo do meu coração, uma experiência muito legal fazer uma resenha estilo diário, espero que vocês tenham gostado. 

"Onde ela poderia estar, e quem, queridos leitores, vocês acham que a encontrou?"

Nota: 4,5/5
Dessa vez fiz algo diferente para dar a nota, decidi que iria dar nota no final de cada conto e tiraria a média, assim seria mais justo e mais fácil de passar a nota para vocês!

Compre Lady Whistledown Contra-Ataca | Amazon | Saraiva
Baixe um trecho de Lady Whistledown Contra-Ataca | PDF

Um beijo e paz no coraçãozinho de vocês! ✩






19 Comentários

  1. Oiii Cecília. Como vai?
    Amei o post, sério. Foi bem interessante ser suas conclusões se formando.
    Não gosto muito de contos, mas gostaria de ler estes apesar de não estar na animação para ele ainda.
    Não sabia que o conto era uma antologia e realmente isso me surpreende. Mas ainda sim leria a obra
    Beijos.

    Blog: Fanficcao.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Jessica!

      Fico tão feliz em ler isso :) Sou apaixonada em contos, então não posso falar muito, mas acho que você vai adorar se gostar de Romance de Época. Obrigada pela visita <3

      Beijos!

      Excluir
  2. Oii, adorei sua postagem!! Amo a Julia e a Lady Whistledown foi uma personagem me deixou bem intrigada na série os Bridgertons . Adorei saber que a identidade dela não foi revelada, pois ainda não terminei a série e estava com medo de tomar spoiler kkk.
    Adoro contos , e ver a perspectiva de varias autoras deve ser maravilhoso. Espero lê-lo em breve. A postagem está maravilhosa!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei!

      Ela é realmente incrível haha E o melhor é que tá tudo sem spoiler, então pode ficar tranquila. Espero que goste da leitura. Muito obrigada :)

      Beijos!

      Excluir
  3. Ei Cecília.
    Acho que você é a primeira pessoa que vejo falando bem desse livro. Rs. A maioria disse que ficou decepcionada e tal.
    Eu confesso que não leio contos... não gosto de histórias muito breves porque pra mim tenho aquele sentimento de que algo está faltando. Então eu sempre evito ler esse tipo de livro. Mas que bom que você gostou e não se decepcionou igual as outras meninas.

    Suas fotos ficaram lindíssimas como sempre.

    Beijos
    Anne
    Literatura Estrangeira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Anne!

      Sério? Eu destoando de todo mundo haha Entendo, alguns contos sempre me decepcionam por causa disso, mas muitos me encantam também, como esse :) Muito obrigada!

      Beijos!

      Excluir
  4. Oi Cecilia, tudo bem? Quando vi a primeira foto da resenha e o nome das autoras nem precisei continuar pra incluir logo o livro na minha lista hahahaha. Eu estou encantada e super ansiosa para ler esses contos, gostei muiito como vc fez a resenha, Parabéns!
    http://blogviagensliterarias.blogspot.com.br/?m=1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Suyanne!

      Entendo você 100%, eu teria feito o mesmo haha Muito obrigada, fico feliz em ler isso :)

      Beijos!

      Excluir
  5. Olá, tudo bom?
    Primeiro, suas fotos estão lindas. Adorei a sua resenha, tão completa e tão bem escrita. Eu já vi o livro por aí mas não fazia ideia ser de contos. Eu AMO contos. A única autora que conheço é a Julia Queen apesar de ainda não ter lido nada dela. Quero muito ler esse livro agora, para já conhecer a escrita da autora e das outras também.

    Beijos, Ally.
    Amor Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Ally!

      Achei uma fã de contos por aqui! Fico feliz em ler isso :) A Julia é uma rainha, mas não acho que ela tenha tido o maior destaque, por isso gostei da leitura, é diferente! Muito obrigada :*

      Beijos!

      Excluir
  6. Oiie
    Adorei a premissa do livro, parece ser bem interessante. Já tá na wishlist aqui, adorei seu post. Amo romances de época.
    Bjos, Bya! 💋

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Bya!

      Ela é sim, espero que goste da obra! Muito obrigada :)

      Beijos!

      Excluir
  7. Fiquei impressionada que não tem spoiler das historias anteriores!
    E um pouco decepcionada pela resolução do caso do roubo não ser tão bom, vc esperou tanto!nhahaha

    Mas em geral acho que esses romances não falham, eu tb amo!!!

    osenhordoslivrosblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei!

      Eu também, a cada página eu esperava pela revelação, mas fiquei bem feliz em não encontrar nada. Eu também, foi uma resolução engraçada e não chocante, bem sem sal haha

      Beijos!

      Excluir
  8. Eu aprendi a curtir contos e como nunca li nada da Julia Quinn, é uma oportunidade pra conhecer um pouco da escrita dela e das outras autoras. E quem sabe finalmente me animar a ler os outros livros publicados. Obrigada pela super dica era o que faltava pra eu me animar a ler! Eu amei essa história, pra mim de todas as que li foi uma das melhores e me deixou com muita vontade de ler o próximo livro. ♥ Elisabete Blog Pretenses

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Elisabete!

      Nossa, é uma ótima oportunidade, aproveita! Fico muito feliz em saber que te animei :)

      Beijos!

      Excluir
  9. Hey!

    Eu li há umas semanas atrás o primeiro livro da série Os Bridgertons e amei! A Lady Wistledown é com certeza uma estrela! Amei sua resenha e mal espero para ler o livro!

    Beijos
    Mari Barros
    Blog Diversamente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Mari!

      O mais legal é que a identidade dela não é revelada, então você pode ler tranquilamente haha Muito obrigada :)

      Beijos!

      Excluir