Origem | Resenha

21 de dez de 2017
Foto: Cecília Justen

Ei! Tudo bem?
Demorei, mas cheguei!

Lançamento de Outubro da Editora Arqueiro, Origem foi o livro que eu mais esperei para chegar um exemplar aqui em casa. Isso tudo porque Dan Brown é meu autor de suspense favorito, então imaginem como eu estava louca para que eu pudesse ler. 

Entretanto, a vida não queria que eu realizasse a ação. Os correios entraram em greve, quando chegou eu não estava em casa para pegar, tive que ir até o correio aqui na minha cidade e quando eu achei que tudo ia funcionar, eu entrei em semana de provas. Quando eu sai, chegou o pacote de Novembro da parceria e, confesso, acabei pulando para ler os outros livros. 

Felizmente chegou o dia, o dia em que eu resenho para vocês o livro mais esperado do ano, para mim. Foi uma surpresa extremamente agradável, meu coração acelerou e eu achei que fosse explodir enquanto não descobrisse todos os mistérios que envolvem o livro. 

Sinopse: Robert Langdon, o famoso professor de Simbologia de Harvard, chega ao ultramoderno Museu Guggenheim de Bilbao para assistir a uma apresentação sobre uma grande descoberta que promete “mudar para sempre o papel da ciência”. O anfitrião da noite é o futurólogo bilionário Edmond Kirsch, de 40 anos, que se tornou conhecido mundialmente por suas previsões audaciosas e invenções de alta tecnologia. Um dos primeiros alunos de Langdon em Harvard, há 20 anos, agora ele está prestes a revelar uma incrível revolução no conhecimento… algo que vai responder a duas perguntas fundamentais da existência humana. Os convidados ficam hipnotizados pela apresentação, mas Langdon logo percebe que ela será muito mais controversa do que poderia imaginar. De repente, a noite meticulosamente orquestrada se transforma em um caos, e a preciosa descoberta de Kirsch corre o risco de ser perdida para sempre. Diante de uma ameaça iminente, Langdon tenta uma fuga desesperada de Bilbao ao lado de Ambra Vidal, a elegante diretora do museu que trabalhou na montagem do evento. Juntos seguem para Barcelona à procura de uma senha que ajudará a desvendar o segredo de Edmond Kirsch. Em meio a fatos históricos ocultos e extremismo religioso, Robert e Ambra precisam escapar de um inimigo atormentado cujo poder de saber tudo parece emanar do Palácio Real da Espanha. Alguém que não hesitará diante de nada para silenciar o futurólogo. Numa jornada marcada por obras de arte moderna e símbolos enigmáticos, os dois encontram pistas que vão deixá-los cara a cara com a chocante revelação de Kirsch… e com a verdade espantosa que ignoramos durante tanto tempo.

Foto: Cecília Justen

Páginas: 432 | Autor(a): Dan Brown | Editora: Editora Arqueiro | Gênero: Suspense 

Robert Langdon tem um enorme carinho pelo seu ex-aluno, bilionário e futurólogo Edmond Kirsch, por isso ele não pensa duas vezes quando recebe uma carta com um convite para a apresentação de Kirsch que promete abalar todas as crenças religiosas e abalar o mundo em si. Sua revelação promete mudar tudo e fará com que ele se torne um novo Galileu, Copérnico ou Darwin. Entretanto, ninguém sabe disso além do futurólogo e de três religiosos.

Edmond Kirsch, apesar de se declarar ateu, decidiu que antes de revelar para o mundo sobre sua descoberta, ele precisava falar com pelo menos três líderes religiosos, para saber como sua descoberta poderia afetar toda a sociedade. Após esse encontro, dois desses líderes morrem e, finalmente, chega o dia da grande apresentação surpresa de Kirsch. Apresentação que é tão surpresa que Ambra Vidal, diretora do museu aonde aconteceria o evento, não sabe de nada sobre o assunto.

Langdon então se prepara para descobrir o maior segredo de seu amigo e quando entende o que é, além de ficar assustado, acaba ficando completamente curioso. Edmond Kirsch, futurólogo, promete revelar comprovadamente a resposta para as duas perguntas mais famosas do mundo "De onde viemos?" e "Para onde vamos?", com um pequeno detalhe, ele responderá com ciência, sem ajuda da religião.

Infelizmente, nem todas as pessoas parecem interessadas em saber a resposta, então antes de Kirsch conseguir falar qualquer coisa, a noite se torna um caos completo fazendo com que o mundo todo parasse para entender o caso e fizesse várias teorias sobre as respostas do futurólogo. Todavia, Robert não quer deixar as coisas assim, então ele e Ambra decidem embarcar em uma aventura para conseguir divulgar para o mundo a resposta das duas perguntas mais importantes que podem mover o mundo.

- Amigos - sussurrou Edmond -, eu fiz muitas previsões na vida. Esta noite vou fazer outra. - Ele respirou fundo e devagar. - A era da religião está chegando ao fim. E a era da ciência está começando.

Terminei há pouco tempo a leitura e vocês não conseguem pensar em como minha cabeça ainda está raciocinando super rápido para conseguir aceitar tudo o que eu li. Então decidi que vou começar dando umas informações para vocês. 1. Origem faz parte de uma série de livros chamado As Aventuras de Robert Langdon; 2. Isso não quer dizer que os livros se liguem, são histórias independentes com um mesmo personagem; 3. Algumas obras da série viraram filme com Tom Hanks atuando como Langdon; 4. Tem uma postagem aqui no blog super especial que explica um pouco sobre cada livro da série; 5. Todos os livros mexem com religião de alguma maneira, o escritor não é preconceituoso, mas talvez você não se sinta tão bem com algumas colocações das obras.

Tendo essas coisas em mente, acho que vocês já podem embarcar completamente no mundo de Origem e em todas as loucuras que Dan Brown nos faz acreditar fielmente como se tudo fosse verdade.

Inclusive essa é a minha parte favorita de tudo o que eu já li do autor, essa confusão que ele causa na nossa cabeça em que nós não sabemos o que é real e o que é ficção. Isso tudo acontece porque sim, boa parte das informações da obra são realmente reais, os locais, a cultura, as religiões e às vezes, até alguns personagens, então você começa a embarcar em um mundo que a realidade e a ficção andam lado a lado e se misturam em certos momentos.

Dan Brown não faz uma obra qualquer, ele faz um mundo, ele está ali para nos mostrar cada parte de tudo o que ele pensou, nada de segredos, ele é bem claro em suas descrições. Então isso não seria diferente em Origem, livro que mostra a quinta aventura Robert Langdon.

"- Robert - sussurrou Ambra -, só se lembre das sábias palavras da princesa Elsa, da Disney.
Langdon se virou.
- O quê?
Ambra deu um sorriso suave.
- Let it go."

Langdon continua do mesmo jeito de sempre, com seu relógio do Mickey e agindo como se nunca tivesse entrado em uma aventura louca que bate com a religião em algum momento de sua vida. E é assim que ele começa a correr vários riscos, novamente. Ele precisa achar a senha (de 47 dígitos) de Kirsch para conseguir divulgar para o mundo o vídeo que o mesmo gravou com a sua resposta para a grande descoberta de sua vida. Obviamente, ele tem um inimigo que tenta mata-lo para silencia-lo, mas o maior problema nem é esse, o maior problema se chama Ambra Vidal, a noiva do príncipe Julián e futura Rainha da Espanha. Supostamente Robert teria sequestrado Vidal para fazê-la de refém, o que é nitidamente uma mentira contada pela coroa espanhola.

Nessa história a gente tem vários segredos escondidos que, infelizmente, eu não quero falar muito sobre pois seria spoiler. A gente tem a própria coroa espanhola entrando no meio do grande acontecimento de Kirsch, tudo porque eles são extremamente religiosos e isso pode ser um motivo para querer que a resposta nunca seja revelada. Você acaba desconfiando de todo mundo nessa obra, o que deixa tudo com aquele aspecto mais Sherlock Holmes.

"Agora, atravessando a névoa, seguiu até a entrada do museu – um agourento buraco negro na estrutura reptiliana. À medida que se aproximava, teve a sensação inquietante de entrar na boca de um dragão."

Por incrível que pareça, o suspense não foi a minha parte favorita, apesar de eu concordar fielmente com a afirmação do San Francisco Chronicle quando falam que "Se este livro não fizer sua pulsação acelerar, você precisa verificar seus remédios.". Afinal, o livro é completamente excitante e faz com que seu coração continue acelerando até que a última página seja virada.

Mas como vinha dizendo, a minha parte favorita fora os personagens secundários. Continuo amando Robert, não desacreditem nisso, mas os personagens secundários dessa obra conseguiram superar todos os outros de outros livros de Brown. Eu gosto mundo de falar sobre eles em minhas resenhas, porque acredito que a alma de uma história se encontra no meio da construção deles, e é por isso que essa postagem tem um cantinho especial para Kirsch e Winston.

Edmond, talvez, merecesse um pouco da minha raiva, principalmente por toda a sua vaidade e às vezes, Brown nos faz acreditar que ele é egocêntrico. Mas isso tudo é só uma ilusão e você vai perdendo enquanto avança a leitura. Eu fiquei completamente apaixonada pelo futurólogo, queria que ele existisse para alimentar minha paixão platônica por ele. Acho que isso vem muito da questão do que ele acredita ser bem (bem) parecido com o que eu acredito. Apesar de ele ser um gênio, ele tem um lado que lembra muito que eu penso sobre as religiões e gostei muito em como isso foi colocado no livro e no próprio personagem.

Dan Brown, como sempre, mexe com as religiões mais famosas do mundo, então ele precisa ter um cuidado enorme ao falar sobre cada uma delas sem ser pretensioso e preconceituoso, acima de tudo. Como ele vem fazendo, ele conseguiu se sair muito bem, mostrando um lado negativo da religião e o lado positivo, mostrando os seguidores mais conservadores e os mais liberais. Acho muito importante esse equilíbrio entre os extremos e, apesar de Edmond ser ateu, nós percebemos isso em tudo o que o envolve; Nas pessoas que o seguem, nas suas falas e nas suas ações, nos religiosos que ele conta sua reposta, nas teorias que as pessoas criam sobre as religiões, cada parte é contada em volta desse personagem que, pessoalmente, tem uma construção genial.

O outro personagem não é real, mas parece muito um ser humano. Winston é apenas uma voz, que pode ser uma mulher, um homem, uma mulher britânica, um homem africano, Winston não tem limites em relação a sua língua e, não tem limites em relação a suas ações. No dia do anúncio, Robert recebe um fone de ouvido extremamente avançado com uma tecnologia incrível criada pelo próprio Edmond (já falei como ele é super inteligente?!), Winston como ele mesmo se chama. E é esse "robô" que pode estar em qualquer lugar que envolva tecnologia que ajuda Robert e Ambra a descobrirem mais sobre o segredo de Edmond. A relação deles acaba se tornando quase humana, o que torna toda essa amizade uma crítica importante para o nosso futuro.

É apenas um robô, mas você vai criando uma afeição por ele enorme. Um robô não tem sentimentos, mas Winston parece tão real em sua fala, em suas risadas que chega a ser bizarro o fato de ele não ser real e não sentir as coisas que nós sentimos, como dor e alegria.

Parabéns para Dan Brown que construiu esse personagem, um personagem cheio de criticas que, infelizmente eu não posso contar para vocês porque revelaria o final do livro. Um robô que se tornou muito querido por vários leitores e eu adoraria vê-lo mais vezes se fosse possível. Amei criar teorias em cima dele, teorias que em alguns momentos se concretizaram e em outros não fizeram um pingo de sentido.

"Hackeei as mensagens de texto de valdespino. Ele tem segredos perigosos. O palácio deveria acessar os registros de sms dele. Agora."

Em um momento, o momento em que o leitor já está fisgado por todo o mundo de Origem, a gente começa a entrar nesse universo de teorias e suposições criadas por Dan Brown. A própria história joga teorias para que nós, leitores, fiquemos completamente curiosos e ansiosos para saber a resposta. E, por isso, como todos os romances desse estilo que eu já li, fiquei fazendo vários questionamentos, pensei em vários soluções e pensamentos para que eu mesma conseguisse responder as perguntas de Edmond.

Falando em perguntas, elas são reveladas sim e quando nós descobrimos a solução, posso dizer que não acertei, mas também posso dizer que não é nenhum pouco impossível de ser pensada. De onde nós viemos, é uma resposta bem digna da ciência e que a mesma bate firmemente. Para onde vamos é uma resposta que encontramos em alguns filmes, então não é tão chocante assim, na verdade é bem simples. Confesso que Brown merecia um troféu só por ter pensado em formas de comprovar ambas em uma forma ficcional, mas preciso contar que a forma que ele explicou é muito mais brilhante do que a resposta para as perguntas em si. Ah! Se interessa para os leitores do blog, eu super concordo com as respostas e chego até a acreditar em partes dela.

"O programa começa em 1 minuto e 39 segundos."

Essa é a história perfeita para quem ama e sentiu saudade de Dan Brown. Aquela obra que você leva dias para ler simplesmente porque você faz questão de parar em cada página, pegar o celular e pesquisar pelo lugar, pela religião e pelas pessoas importantes da ciência, política, tecnologia, religião que são citados durante a obra, como Winston Churchill.

Um livro excelente para quem procura conhecimento de diversas áreas do mundo. O autor não escreve somente sobre o ponto principal, ele quer nos levar a conhecer toda a história do lugar para que possamos entender melhor a que estado nós estamos. Eu tenho muito a agradecer ao Dan Brown que muitas vezes foi um verdadeiro professor de história. Ah! Não só a ele, mas se eu pudesse, eu queria agradecer ao Robert por ser o professor de simbologia de sempre que eu amaria participar de uma de suas palestras, infelizmente, isso não é possível.

Isso tudo e mais um pouco vocês terão na nova história de Dan Brown, o escritor que nos mostra com maestria como se faz um livro, como se escrever de uma maneira magnífica que leva o leitor ao delírio com apenas uma fala. E se me perguntarem se ele usou a mesma fórmula de sempre, posso dizer que sim e, graças que ele fez isso.

Feito para você que quer ser Sherlock Holmes e falhar, para você que ama um suspense maravilhoso, feito para você que quer suspirar, quer rir, quer se divertir, quer se intrigar, quer questionar e quer viver a história ao lado do melhor personagem de suspense já feito, ah, e ao lado de seu relógio do Mickey Mouse também.

"Nesse instante sentiu um tremor minúsculo na terra sob os pés, como se o ponto da virada tivesse sido alcançado... como se o pensamento religioso tivesse acabado de atravessar o local mais distante de sua órbita e estivesse circulando de volta, cansado da longa viagem, e finalmente chegando em casa."

Nota: 5/5 ♥ 

Compre Origem | Amazon | Saraiva
Baixe um trecho de Origem | PDF
Conheça o site oficial (em português) do livro | Origem


Um beijo e paz no coraçãozinho de vocês! ✩







16 comentários:

  1. Lembro do seu post sobre os livros do autor e fiquei bem inclinada a ler, nunca li nada dele hehehe
    Li algumas críticas negativas desse livro e desanimei um pouco, mas gostei de como vc colocou a problemática e foi sincera na sua avaliação amiga! darei uma chance a Dan brown sim e te aviso quando ler o que achei!!


    osenhordoslivrosblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro Dan Brown, então saber que convenci alguém a ler é muito gratificante. Eu também li, isso é principalmente por ser o livro mais fraco do autor, um livro mais corrido e com pouca parte de Simbologia (que é aonde o personagem se destaca), mas o pior de tudo é que Brown usou seu mesmo estilo... Enfim, pra mim, nada disso foi um problema, mas sim uma solução. Quero saber tudo! Quero saber se você vai entrar no meu projeto Dan Brown haha

      Beijos!

      Excluir
  2. Adoro livros que superam, que nos fazem pensar e achar que sabemos o final e nos surpreender totalmente, ainda tendo aquela pitada de humor o que torna a leitura mais divertida.
    Nunca li nada do autor, mais da maneira que descreveu a escrita parece ser maravilhosa! e preciso conhecê-lo!
    Beijos.. sua resenha estava maravilhosa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses livros são os melhores, não são?!
      Menina, corre! Você precisa conhecer o mais rápido possível, principalmente se você gostar desse estilo de livro!
      Muito obrigada :) Beijos!

      Excluir
  3. Pela capa eu nem compraria MAS a história é bem fascinante . fiquei chateada que não comprei antes mas fazer o que rsrsrsrs é a vida ne. Agr só aguardar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério?! Eu A-M-E-I a capa haha
      A história é muito fascinante, vale a leitura!
      Poxa... Mas ainda dá tempo de arranjar um exemplar nas promo da vida :)

      Excluir
  4. Oii
    Ahh eu só um único livro do Dan Brown até hoje mas me apaixonei pela escrita dele e pela estória, já quero ler outros, inclusive Origem, certeza que vou gostar bastante. Amei sua resenha, que bom que curtiu a leitura.
    Bjos, Bya! 💋

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Bya!
      Os livros dele são ótimos, se você já leu um e gostou, pode ter certeza que com "Origem" os sentimentos não serão diferentes :)
      Muito obrigada!

      Beijos!

      Excluir
  5. Olá, Feliz Ano Novo!!!
    Todo mundo está falando muito desse book. Estou bem ansiosa e curiosa por esse livro é espero conseguir ler logo.
    Amei o POST.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Feliz ano novo, chuchu!
      Sim, todo mundo está adorando. Tente ler, você vai gostar.
      Muito obrigada :)

      Beijos!

      Excluir
  6. Olá, tudo bom?
    Dan Brawn realmente mistura realidade com ficção e isso da um um bug na mente da gente HAHAH Mas eu gosto bastante das coisas que ele coloca na obra (locais, mitos, etc).
    Esse livro parece estar muito bom, mas eu não pretendo lê-lo por enquanto. Parabéns pela resenha.

    Beijos, Ally.
    Amor Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Aline!

      Exatamente! Isso me deixa doidinha haha
      O livro está bem Dan Brown, talvez você goste!
      Obrigada :)

      Beijos!

      Excluir
  7. Olá! Esses correios sempre nos dão dor de cabeça, ainda bem que no final deu tudo certo. Nunca li nenhum livro do Dan, mas confesso que tenho uma curiosidade gigante. Amo suspense e sei que os livros dele sempre deixa a gente confusa hahaha adorei sua resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Jenni!

      Sim, os correios da minha cidade são uma confusão só...
      Menina, para o que você está fazendo e vá ler haha
      Muito obrigada :)

      Beijos!

      Excluir
  8. Oi Ceci!
    Foi meu primeiro contato com o autor e eu gostei bastante. Adorei a riqueza de detalhes do livro e a forma como a história se desenvolveu. Os símbolos e as ilustrações agregaram muito valor a trama. Em geral é uma boa leitura e estou curiosa para ler outras obras dele também.

    beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei!

      Sério? Fico muito feliz em saber que você gostou.
      Se essa foi sua parte favorita, corre para ler "Anjos e Demônios", é meu livro favorito e é o que tem mais riqueza de símbolos e ilustrações :)

      Beijos!

      Excluir