Um Beijo à Meia-Noite | Resenha

11 de dez de 2017
Foto: Cecília Justen

Ei! Tudo bem?
Finalmente consegui aparecer na data certa e seguir o planejamento do blog!

Lançamento de Novembro da Editora Arqueiro, Um Beijo à Meia-Noite é uma releitura do conto de fadas Cinderela, e assim como no conto, Eloisa James, autora da obra que será resenhada, deixou a gente com sapatinho de cristal e até fada madrinha. 

Quando terminei a obra, tive tantos pensamentos que acabei me embaralhando toda. Posso dizer que foi uma surpresa no geral, principalmente pela forma que Eloisa narrou a história em terceira pessoa. Ela escreveu de um jeito bem gostosinho que, foi graças a esse jeito, que eu consegui ler a obra do início ao fim.

Sinopse: Kate Daltry é uma jovem de 23 anos que não costuma frequentar os salões da alta sociedade. Desde a morte do pai, sete anos antes, ela se vê praticamente presa à propriedade da família, atendendo aos caprichos da madrasta, Mariana. Por isso, quando a detestável mulher a obriga a comparecer a um baile, Kate fica revoltada, mas acaba obedecendo. Lá, conhece o sedutor Gabriel, um príncipe irresistível. E irritante. A atração entre eles é imediata e fulminante, mas ambos sabem que um relacionamento é impossível. Afinal, Gabriel já está prometido a outra mulher – uma princesa! – e precisa com urgência do dote milionário para sustentar o castelo. Ele deveria se empenhar em cortejar sua futura esposa, não Kate, a inteligente e intempestiva mocinha que se recusa a bajulá-lo o tempo todo. No entanto, Gabriel não consegue disfarçar o enorme desejo que sente por ela. Determinado a tê-la para si, o príncipe precisará decidir, de uma vez por todas, quem reinará em seu castelo.

Foto: Cecília Justen

Páginas: 320 | Autor(a): Eloisa James | Editora: Editora Arqueiro | Gênero: Romance de Época

Esqueça tudo o que você sabe sobre Cinderela, entre nessa história de cabeça vazia, porque Eloisa recriou todo um cenário diferente, personagens com uma nova personalidade, um príncipe que às vezes não é tão príncipe assim, uma fada madrinha que não é mágica, uma irmã malvada que não é malvada, tudo é diferente nessa história que tinha tudo para dar completamente certo. 

Kate Daltry perdeu a mãe quando era pequena e logo depois seu pai apareceu com Mariana, uma mulher que futuramente seria sua madrasta. Com ela também veio Victoria, sua filha. Na medida do possível, estava tudo bem, até que Kate também perdera o pai, fazendo com que ela se tornasse uma criada de Mariana. 

Aceitando toda a sua situação para conseguir manter o emprego e a moradia de seus amigos, Kate aprendera a lidar com tudo aquilo e quando fora chamada para jantar com sua "família" ela fica nitidamente surpresa. 

Tentando entender a função desse jantar, Kate vai tirar satisfações com Mariana, mas lá ela descobre que Victoria estava com a cara extremamente deformada por causa da mordida de um de seus três cachorros e agora Kate tem uma missão pela frente, se passar por sua "irmã" em um baile do príncipe, tudo porque Victoria ficara grávida de seu namorado e agora eles precisam casar antes que qualquer um descubra, mas para esse casamento acontecer eles precisam da aprovação do príncipe, que é tio de seu namorado. 

Tentando sair do meio dessa confusão toda, Kate se recusa até a cortar o cabelo para se parecer com sua "irmã". Frustrada com sua situação, ela acaba aceitando e é assim que ela sai de casa com "seu noivo", "suas" perucas, "seus" vestidos, "seus" cachorros" e "seu" nome para passar uns dias no castelo do príncipe Gabriel, que nesse momento está preocupado em como vai manter o castelo, já que ele está cada dia a mais sem dinheiro e precisa que sua noiva, que ele não conhece, chegue logo para que ela consiga sustentar todas as despesas. 

"- Perucas - disse Mariana, numa espécie de suspiro estrangulado.
- Tenho perucas de todas as cores para combinar com minhas roupas - disse Victoria. - Se Rosalie trançar e prender o cabelo de Kate todas as manhãs, ela ficará muito elegante e todo mundo vai pensar apenas que eu adoro perucas."

Nossa, esse livro parecia realmente maravilhoso, eu estava tão ansiosa para iniciar a leitura que acabei pulando outras obras para que eu pudesse chegar logo nessa releitura de Cinderela, que havia me encantado só pela sinopse e pelos comentários positivos de Lisa Kleypas e Julia Quinn, duas autoras de Romance de Época que eu considero muito. Entretanto, nunca fui tão enganada por escritoras de porte tão grande. 

Um Beijo à Meia-Noite me fez ter uma leitura muito rápida, isso porque eu queria tentar achar algo que me fizesse realmente pegar o interesse pela obra. Logo de início, quando somos apresentados ao tema, tudo parecia meio estranho pra mim, mas aí eu finalmente peguei o ritmo na parte em que Kate vai para o castelo e achei que as coisas fossem melhorar, só que tudo desandou mais ainda. 

Não sei se foram as minhas expectativas altas, só sei que não consegui atingi-las e isso se deve a inúmeros fatos que acabaram me ajudando a entender o motivo de eu não ter me apaixonado pela obra como achei que fosse me apaixonar. O que é muito triste, porque eu, de verdade, acreditei que fosse colocar a nota máxima aqui na resenha. 

"Um beijo? Nunca fora beijada, e certamente não planejava ter seu primeiro beijo com um príncipe arrogante e indomável que se irritara porque ela não o bajulava!"

Contei para vocês que o livro não me satisfez, mas isso pode ser por várias coisas. Por exemplo, eu li muitas pessoas falando muito bem da série Contos de Fadas, que é aonde Um Beijo à Meia-Noite se encaixa. Junto a ele temos a releitura de A Bela e a Fera, que é Quando a Bela Domou a Fera, e, apesar de não terem ligação, os dois possuem uma escrita muito gostosinha, mas diferentemente do primeiro livro, essa releitura de Cinderela teve alguns defeitos que acabaram diminuindo bastante a nota. 

Um dos maiores problemas foi como a obra ocorreu em si, eu achei que tudo aconteceu muito depressa e de uma maneira meio estranha, sabe?! Não sei nem se consigo explicar, mas quando vi o livro já tinha tido vários acontecimentos importantes que passaram de uma maneira bem sem graça e sem sentido na obra, o que fez com que eu não conseguisse me apegar bastante. 

Entretanto, continuei dando uma chance, pois tinha algo na história que eu queria saber e não era nem o final, porque aquele sim seria bem previsível, apesar de ser uma das melhores partes da história. E foi seguindo a obra que eu encontrei o príncipe e, meu deus, eu queria tanto um príncipe que fosse menos Gabriel, podem até rir porque eu estou rindo de mim mesma agora, mas essa é a verdade. 

De todos os personagens, o que eu menos gostei foi ele e isso pode ter me ajudado a não gostar do livro, já que ele é o principal e, vamos lá, quem não espera bastante do príncipe da Cinderela? Na sinopse, diz que ele é irresistível e, confesso que é sim, afinal ele é estrangeiro, tem toda uma aparência de príncipe, com os outros é como um membro da família real e ainda lida com responsabilidades que não era nem para ele lidar, mas ele está lá, firme e forte tentando salvar aqueles que ele ama no castelo, apesar de não possuir dinheiro para isso. Na sinopse também fala que ele é irritante, mas eu não imaginei que seria tanto assim. Gabriel não é só irritante, eu senti que ele era meio babaca com Kate em boa parte do tempo. Tinha alguma coisa nele que eu não aceitava de jeito nenhum, as falas ou até mesmo o modo que ele foi retratado, eu sei que ele poderia ser sim irritante, até porque com a Kate é bem provável que você seja e depois de tudo o que ele passou (sem spoiler aqui), estava tudo bem não ser realmente um príncipe, mas ele tava até sem graça para quem tinha o papel de crush.

Falando em Kate, gostei muito da personalidade dela, o que é um ponto super a favor para a obra que estava me decepcionando. Ela não é a típica Cinderela do filme de 1950, ela também não é a de Lily James de 2015, mas ela é a própria Cinderela de Eloisa James. Kate é forte, bate de frente com a madrasta, não se faz de coitadinha, irrita o príncipe irritante, fala o que pensa e tem toda uma aparência que não é típica de Cinderela, afinal, enquanto a princesa sempre foi vista com aquela beleza, todo mundo falava que Victoria era linda, mas teve uma doença e agora está extremamente estranha. A versão estranha é a versão de Kate. O que é bem engraçado, tendo em mente que ela seria a Cinderela. 

E o que mais tem em Cinderela? Ratinhos, que dessa vez são cachorrinhos. Personagens secundários que são as coisas mais fofas na obra, eu queria pegar eles pra mim e, mesmo que no início Kate não gostasse deles, eu sabia que ela não conseguiria abandona-los. Temos também em Cinderela a Madrasta, que infelizmente foi pouco retratada na obra, a irmã malvada, que como eu disse não é malvada, na verdade, Victoria é um amor de pessoa, e a fada madrinha que, com certeza, é a melhor personagem de todo Um Beijo à Meia-Noite. Henry é engraçada, maluca, encorpada, bem fada madrinha de Helena Bonham Carter. Eu poderia escrever horas sobre ela que eu não iria me sentir mal, eu amava tanto as partes que ela aparecia que eu adoraria comentar tudo com vocês. Ah! As melhores partes eram quando ela dava uma patada no Gabriel, foi ali que eu percebi que ela tinha ganhado o troféu de "Melhor Personagem de Um Beijo à Meia-Noite ". 

Foto: Cecília Justen

Escrevi muito sobre o que eu não gostei e pouco sobre o que eu gostei, mas não pensem que o livro só tem contras. Por exemplo, a escrita de Eloisa é bem leve, super gostosinha e faz com que a obra tenha uma leveza de conto de fadas, mesmo que tenhamos personagens bem mais maduros do que nos livros infantis. Isso ajudou demais, mas ao mesmo tempo fez com que a obra tenha se passado muito rápido. 

Comentei com vocês rapidinho sobre o final também e, é previsível sim, mas até que é bem legal. Gabriel mostra ser uma pessoa bem melhor, apesar de ele ter essas fases de "crush" e babaca, e faz uma surpresa super fofa para Kate, fazendo com que eu dê uma chance para esse amor maluco entre eles que eu não levei muita fé. 

Outra coisa bastante bacana na história é o passado de Gabriel que o fez parar ali, na Inglaterra. Mostrou-me que ele tem tantas responsabilidades quanto Kate, mas cada um atua de um jeito mais maduro que o outro quanto a isso, o que é extremamente normal.

Essa forma mais dura de mostrar os personagens deixou claro um fato mais real na obra, dando-me mais um ponto positivo para tudo o que eu li.

"- Pelo amor de Deus, nunca se apaixone antes de se casar. É complicado demais e as consequências são terríveis. A única vez que me aconteceu isso foi com seu pai, e só porque, mesmo lutando com unhas e dentes, não consegui resistir.
Kate sorriu.
- Não pretendo me apaixonar, lady Wrothe.
- Henry."

Por fim, acho que vou precisar repetir aquilo que eu sempre falo quando uma leitura não me satisfaz. Leiam, deem uma chance que vocês sempre poderão se surpreender de forma positiva ou negativa e esse é o lado mais legal da leitura, ser surpreendido sempre. Eu, por exemplo, pretendo ler ainda esse mês o outro livro dessa série, para dar uma chance a escritora e até mesmo a história. 

Espero que vocês se apaixonem, façam escolhas certas, errem bastante na vida, assim como os personagens dessa obra. Ah! E procurem a felicidade, apesar de todas as pedras que a vida joga pelo caminho. Entendo que essa é uma releitura, mas Kate tem um lado de Cinderela, o lado que procura por aquilo que almeja e Gabriel tem um lado de Príncipe Encantado, o lado que procura o seu grande amor e não o dinheiro. Essa é uma nova versão de Cinderela, todavia, como todas as outras versões, essa é uma que traz muitos sentimentos. 

"- É o Destino, aquele demônio insolente que derrubou Romeu e Julieta.
Parecia muito dramático para Kate, mas ela compreendia.
- Eu amo você - declarou ela quando ele a pousou diante da porta do quarto. Arriscando tudo."

Nota: 2/5

Compre Um Beijo à Meia-Noite | Amazon | Saraiva 
Baixe um trecho de Um Beijo à Meia-Noite | PDF 


Um beijo e paz no coraçãozinho de vocês! ✩

16 comentários:

  1. Gostei muito da sua resenha :D

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oii Ceci
    Eu gostei da premissa da obra, mas certas coisas que mencionou me incomodariam também. Como não gosto de livros muito arrastados, não gosto de livros muito rápidos. Tira toda a chama da obra.
    Amei sua resenha.
    Beijos

    Fantástica Ficção

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Jess!

      Sim, essa rapidez é tão desnecessária, mas acho que consigo entender alguns autores quando isso acontece. Obrigada :)

      Beijos!

      Excluir
  3. Vc realmente não gostou amiga hahaha falou bastante!
    Mas ahhhh achei a premissa tão fofa tb... quero ler, preciso ter certeza que vc foi chata e a história é boa sim! hahahaha

    osenhordoslivrosblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vivi, adoro falar haha Principalmente quando não gosto de alguma coisa, aí que eu escrevo mesmo.
      Eu também tinha achado, mas... Espero que você goste e que eu tenha sido a chata, afinal, não é muito difícil haha

      Beijos!

      Excluir
  4. Oi, tudo bem?? Adoro releituras ainda mais de contos de fadas e achei a premissa super interessante. Adorei a semelhanças descritas e todos os pontos positivos e negativos citados. É ruim quando desejamos muito de uma leitura e ela acaba sendo boa mais não surpreendente. Mesmo assim espero ler em breve e te conto o que achei!!
    Beeijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei!

      Releituras são sempre bem-vindas.
      É bem triste mesmo, mas é sempre bom ter uma leitura mais fraca para lermos um outro livro e amarmos ele ainda mais :)
      Leia sim e depois venha me contar, vou adorar saber!

      Beijos!

      Excluir
  5. Oi Ceci!!
    Engraçado você mencionar esses fatos sobre o livro porque foram exatamente as mesmas coisas que me incomodaram na obra. Eu ainda não li Quando a Bela Domou a Fera mas depois dessa transformação na história da Cinderela eu fiquei bem Cabreira com os outros livros da autora. Acho que era uma premissa que tinha tudo para dar certo mas em algum momento ela se perdeu. Sem falar que não consegui me simpatizar em nada com o príncipe que de príncipe só tem o título. Eu dei nota 3 porque apesar dos pesares, gostei dos capítulos curtos.

    Beijinhos!

    Cami
    Http://leiturize-se.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Cami!

      Somos gêmeas de leitura haha
      Eu também fiquei, mas acabei pedindo em Dezembro... Pretendo ler em breve, espero que seja bom.
      Concordo com você, provavelmente ela se perdeu quando o Gabriel surgiu haha
      Os capítulos curtos foram ótimos, principalmente sendo um romance de época, sinto falta disso no gênero.

      Beijos!

      Excluir
  6. Olá, tudo bom?
    Adorei a sua resenha e sua sinceridade. Eu nunca li nenhuma releitura (ainda) e adorei a premissa dela apesar de você não ter gostado tanto assim da obra, mas como você mesmo disse, ela tem seus pontos positivos.
    Acredito que suas expectativas tenham estragado um pouco o livro também hehe Mas vou ler para tirar minhas conclusões.

    Beijos, Ally.
    Amor Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Aline!

      Fico muito feliz em ler isso!
      Releituras são muito legais, porque eles sempre pegam o melhor da história e tentam trazer para os tempos atuais, mesmo que se passa antigamente. Você vai gostar :)
      Provavelmente rsrs

      Beijos!

      Excluir
  7. Oii
    Que pena não curtiu tanto a leitura. Eu também sempre indico a leitura, mesmo não tendo gostado tanto, porque ela pode agradar outras pessoas. Eu adorei o título, a capa e premissa, fiquei curiosa pra ler, qualquer dia eu dou uma chance pra ele. Adorei sua resenha.
    Bjos, Bya! 💋

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Bya!

      Exatamente, acho isso bem importante.
      Eu também, nessa parte eles arrasaram!
      Obrigada :)

      Beijos!

      Excluir
  8. Olá Cecília! Que romance de época bem diferente. Não é do tipo que costume ver por ai. Esse parece ser engraçado. Amo releituras e mega me interessei nele.

    Beijinhos, jenni.

    sinopsedoslivrosjenni.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Jenni!
      Ele é sim e super engraçadinho.
      Fico feliz em saber disso :)

      Beijos!

      Excluir