Antes que eu me Esqueça | Resenha

15 de mar de 2018
Foto: Cecília Justen

Ei! Tudo bem?
Pensem em uma resenha que demorou a sair, então... É essa.

Em Janeiro tive o prazer de descobrir que o Cores virou parceiro do Grupo Editorial Pensamento, e por causa disso, recebi um kit muito fofo de boas vindas da editora. Com essa caixa, recebi um livro, um livro que me abriu portas para um novo mundo.

Nunca havia lido uma autobiografia, julgava mesmo e não considerei necessário, afinal, eu amo os Romances. No fim, acabou que o kit me presenteou com Antes que eu me Esqueça de Christine Bryden, uma mulher que é mais do que guerreira, uma mulher que foi diagnosticada com demência aos 46 anos.

Antes que eu me Esqueça - Christine Bryden

Sinopse: Quando tinha apenas 46 anos de idade, Christine Bryden – bioquímica, consultora do primeiro-ministro australiano na área de ciências e mãe de três filhas – foi diagnosticada com demência de início precoce, disfunção mental que abrange uma gama de doenças, entre elas o Alzheimer. Os médicos lhe disseram para deixar sua vida em ordem, pois, em breve, ela não conseguiria mais fazer isso. Vinte anos depois, ela ainda trabalha com afinco para reconectar seu cérebro – que já foi seu grande trunfo e hoje é seu grande desafio –, mesmo quando ele perde a sua função. De forma corajosa e inspiradora, Christine relata suas sensações e desafios diários, deixando um legado para as pessoas que sofrem de Alzheimer e para aqueles que se preocupam com elas.


Foto: Cecília Justen

Páginas: 288 | Autor(a): Christine Bryden | Editora: Seoman (Grupo Editorial Pensamento) | Gênero: Auto-Biografia 

Christine teve uma infância muito produtiva na área educacional e em treinamentos para o seu cérebro, só não sabia disso na época. Cresceu fazendo teste de QI, brincando de decorar coisas com sua mãe, e foi uma aluna muito estudiosa, por isso, foi fácil chegar a uma faculdade bem conceituada. 

O que foi uma vida inicialmente gratificante, foi ficando cada vez mais conflitante quando passou por depressão, problemas no seu peso como anorexia e bulimia, e se mudou para a Austrália. Lá, apesar de conseguir um ótimo emprego, entrou em um relacionamento abusivo que fez sua vida rolar para baixo. Ficou grávida três vezes e quando achou que sua vida não tivesse mais soluções, conseguiu sair de seu casamento e finalmente foi viver em paz, até que...

Foi diagnosticada com demência aos 46 anos, tendo que alterar completamente sua vida. Mas esse não é um livro triste, esse é um livro de relatos, de superação, é um livro para deixar a marca de Christine antes que ela se esqueça de tudo o que ela viveu, de tudo o que ela conseguiu, mesmo tendo Alzheimer. 

"Mesmo que eu deixe você confuso ou perturbado, ou mesmo que você duvide de mim, vou continuar lutando e contando a minha história. Antes que eu me esqueça."

Essa resenha não será tão grande quanto as outras, mas isso não quer dizer que o livro perca toda a sua importância dentro de mim, pois ele teve sim, uma grande importância em minha vida. 

Não conheço nem conheci alguém com demência, e por isso entrei nesse livro com medo por ser uma autobiografia e por ser sobre alguém que tem Alzheimer. Como eu iria lidar com relatos tão profundos? Relatos que me mudariam para sempre? Eu sabia que algo tinha nesse livro e sabia que ele poderia ter um impacto muito grande em mim, e fico feliz por ter lido e embarcado nessa leitura.

Como escrevi anteriormente, Christine teve uma vida muito extremista, muitos momentos bons e muitos terríveis, enquanto no emprego ela era a melhor de todas, em casa ela era agredida por seu ex-marido e ainda tinha que lidar com suas filhas que sofriam em um meio completamente não acolhedor. 

Todos esses fatos são narrados e contados por Christine em seu livro, pois, segundo ela, o que ela passou pode ter a causado a doença, como pode ser esses fatos, que fazem a doença ocorrer tão lentamente nela. 

Apesar de Bryden ter demência e passar a esquecer das coisas, diferentemente do habitual, tudo ocorre de forma lenta, então ela ainda consegue fazer coisas importantes para os grupos da doença. Quando ela descobriu ser portadora, em uma época em que ninguém tinha tanto suporte, ela se viu completamente perdida e mesmo depois de tudo, ela viu uma luz no fim do túnel e descobriu que ela poderia ter esperança, ela poderia reverter tudo aquilo e ajudar outras pessoas com Alzheimer, e foi isso que ela fez.

"Estou em minha última batalha para sobreviver - viver o melhor que puder, enquanto puder."

Com relatos de sua infância, adolescência, vida adulta e a chegada da terceira idade, até dicas para quem possui ou conhece pessoas com demência, Christine consegue abordar os mais diversos assuntos em seu livro, mas não focando apenas na doença, mas em sua vida e em como tudo o que ela passou e irá passar muda as suas condições. 

Esse é um livro forte, que me fez pensar em tantas coisas que não tenho palavras. Ela não quer falar sobre sua doença apenas, ela quer mostrar sua vida, e quando comecei a ler sobre seu casamento abusivo eu fui ficando com meu coração na mão. Christine luta todos os dias para vencer sua doença, para passar a frente de seus problemas com o esquecimento, mas ela também lutara no passado quando ainda vivia com seu marido abusivo. 

E quem disse que as coisas não podem melhor quando tudo parece o fim? Para Bryden, toda a sua situação foi o início de vários momentos inesquecíveis. Depois de ter faltado amor, ela conheceu o homem de sua vida após ser diagnosticada, e juntos eles transformam a vida de outras pessoas que possuem demência, as ajudando a retardar o processo. Ela viu suas filhas casarem, viu seus netos nascerem e pretende ver muito mais. Viajou por diversos lugares para divulgar campanhas e fazer palestras para pessoas com ou sem demência.

Apesar de muitos acharem que Christine mente sobre seu diagnóstico, ela continua lutando pelos direitos dos portadores e por seus direitos. Com momentos ruins, momentos de crise, momentos em que ela não sabe onde seu marido está ou não sabe achar o banheiro de sua casa, Bryden tenta todos os dias recomeçar novamente, mas sempre deixa em seus livros partes em que consta que isso é muito mais complicado do que ela gostaria, que isso a faz mal e que o Alzheimer acabou com ela e sua família, mas ela mostra também que, apesar dela ser a exceção do todo, irá lutar todos os dias para vencer todos os problemas.

"Tenho de fazer um esforço imenso para parecer normal, para continuar defendendo as pessoas que têm demência. Não consigo mais fazer isso tão bem sozinha como antes."

A leitura foi ótima para mim, ela escreveu muito bem e me trouxe um contato muito legal com autobiografias e com a própria doença. A gente tira muitas conclusões precipitadas sobre a demência e isso fez com que Christine quisesse tomar uma atitude em relação.

Esse é um livro brilhante, com relatos tocantes que vão mexer com seu coração. A vida de Christine nos faz pensar sobre a nossa vida, sobre ajudar o próximo, sobre entender a necessidade do outro e, a principalmente, ter empatia, coisa que falta muito ultimamente.

Aconselho a leitura a todos, a quem ama uma autobiografia, a quem não gosta, a quem nunca teve o contato, a quem quer conhecer a doença, a quem quer ler sobre superação, a quem conhece alguém que tem e a quem tem e quer ler um pouco sobre a pessoa que mudou muitas questões das pesquisas sobre a demência.

É sempre bom conhecer outro lado, e fico muito feliz de ter conhecido mais sobre essa mulher brilhante que luta todos os dias para simplesmente estar... Viva. A se sentir viva. A se conhecer. A não se esquecer da vida que levou e ainda irá levar.

"Tenho a intenção de viver o máximo possível. Quando vejo o que o futuro pode me reservar, é isso que me incentiva todos os dias a continuar lutando."

Nota: 5/5 ♥
 *Livro cedido em parceria com a Editora*

Compre Antes que eu me Esqueça | Amazon



Um beijo e paz no coraçãozinho de vocês! ✩

6 comentários:

  1. Oie

    Imagino o quanto esse livro deve ser forte, eu já me senti mexida com a resenha.
    Tive um tio que foi diagnosticado com demência e não foi nada fácil. Um livro sendo escrito por alguém com a doença deve trazer muitas coisas e muito a se refletir.
    Excelente resenha!

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Fê!

      Acho que você vai se interessar muito, os relatos dela são emocionantes e muito legais para quem se interessa.
      Obrigada :)

      Beijos!

      Excluir
  2. Oi.
    Francamente, nunca me interessei realmente pelo gênero e acho difícil que um dia venha a fazer. Apesar de ter gostado da resenha e do ponto de vista da autora de modo pessoal sobre um assunto que merece ser discutido, não me vejo lendo a obra. :(
    Beijos.

    Blog: Fantástica Ficção

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Jessica!

      Poxa, que pena... Mas fico feliz em saber que você gostou da resenha :)

      Beijos!

      Excluir
  3. Oi Cecília,
    Amei a resenha e agradeço por compartilhar um livro tão lindo conosco. Acho muito legal ler sobre uma história de vida real, cheia de superação, luta, fé e determinação. Me senti envolvida pela história de Christine através de sua resenha e tenho certeza que esse livro deve tocar nossa alma <3 Com certeza vou querer ler futuramente.

    Bjokas da Elo!
    http://cronicasdeeloise.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Ei, Elo!

    Ah, fico muito feliz em ler isso :) Seu comentário me alegrou muito, obrigada! Espero que a leitura para você seja tão boa quanto foi para mim.

    Beijos!

    ResponderExcluir