Deixa eu contar pra vocês sobre Downton Abbey

26 de mar de 2018

Oi galera, tudo bem com vocês? É bizarro como um mês passa rápido e nós já estamos aqui novamente para falar sobre mais uma série incrível! Se você ainda não sabe quem sou eu ou que eu estou fazendo aqui, você pode clicar aqui e aqui para ler os meus primeiros posts aqui no blog e entender tudo. 

Downton Abbey foi a série escolhida para o mês de março e estou já estava querendo falar sobre ela há muito tempo, então estou bastante animada com o post de hoje. Criada por Julian Fellowes e produzida pela Carnival Films para o canal ITV, Downton Abbey estreou em 26 de setembro de 2010, acompanhando o dia-a-dia da família Crawley, membros da aristocracia inglesa, e seus criados, no início do século XX. 


O conde e a condessa de Grantham, Robert e Cora Crawley, têm três filhas, Mary, Edith e Sybil, e a família vive em Downton Abbey, nome da propriedade que também dá nome à série, juntamente com a enorme equipe de empregados que fazem a vida acontecer na casa. Só que ter apenas filhas mulheres é um problema nessa época para a família, já que nenhuma delas poderia herdar a fortuna e a propriedade, apenas por serem mulheres. Um dos herdeiros legítimos é um primo, Patrick Crawley e também noivo de Mary, a filha mais velha, relacionamento motivado para que ela e as irmãs ainda tivessem acesso ao dinheiro da família. Porém tudo muda com o naufrágio do Titanic em 1912, que acaba por tirar a vida de Patrick e de seu pai e então a família se vê prestes a entregar o título de herdeiro para um parente distante, que acaba sendo um total estranho para eles. Essa pessoa é Matthew Crawley, e a chegada dele com sua mãe a Downton Abbey vai mudar de vez a vida da família Crawley. 


Apesar do arco da reviravolta inicial da série acontecer em volta da família, Downton Abbey foca principalmente nas diferentes relações que acontecem dentro da casa, entre família e empregados. Assim nós podemos ver como um afeta a vida do outro, mesmo sendo de universos completamente diferentes. Já que existe uma vasta gama de personagens que se divide entre os membros da família e os empregados, não posso dizer que exista um personagem principal e sim vários personagens cujas histórias são contadas ao longo das temporadas. Eu acredito que isso seja uma das coisas mais interessantes da série, pois apesar de contar em várias histórias pequenas, todas elas juntas contam uma história só, que basicamente é a história de Downton Abbey.

A ambientação histórica de Downton Abbey foi um dos pontos que me fizeram gostar tanto da série. Os figurinos, os cenários e também o jeito que a série se apropria dos acontecimentos históricos são pontos muito interessantes que fazem a série ter um ar mais realista. Durante as 6 temporadas nós nos deparamos com o naufrágio do Titanic, com a Primeira Guerra, com o surto de gripe espanhola e com vários outros acontecimentos que afetaram a história como um todo e que também estão ali afetando a vida daquelas pessoas.


Outra coisa que para mim foi muito interessante foi a dinâmica entre as três irmãs. Mary, Edith e Sybil são muito diferentes. Mary acha que o mundo gira em torno dela, ao passo em que Edith é a "fracassada" e esquecida pelo resto de família, a famosa síndrome da irmã do meio. Já Sybil é adorada por todos os que a cercam, pois é gentil com todos. Apesar de eu gostar de todas as personagens e ter um carinho muito grande por Sybil que é uma personagem incrível demais, é a história de Edith que mais me encanta. Como sempre, não vou dar nenhum spoiler, mas a evolução que a personagem sofre durante todas as temporadas é incrível de se ver e no final da sexta temporada nós sentimos um quentinho no coração por vemos toda essa jornada que ela percorreu e como ela amadureceu com isso. Dentre as três, Mary é a personagem principal, porém ela é muitas vezes arrogante e prepotente, então ela faz a gente passar um pouco de raiva com determinadas atitudes. O que não impede de nós gostarmos da personagem como qualquer outra.


No núcleo dos empregados, outra coisa muito interessante é podermos ver as diferentes perspectivas que cada um tem em relação à família. Alguns são extremamente devotos aos membros da família e fazem questão de fazer tudo como manda o figurino. Já outros são rancorosos e ressentidos por terem de servir a outras pessoas com tanta formalidade e acabam fazendo de tudo para subir na vida e algumas dessas ações acabam interferindo na vida de todos os moradores da casa.


Eu tinha vontade de falar de todos os personagens, mas são muitos e eu ficaria aqui o resto do dia escrevendo para vocês, mas eu não podia deixar de falar sobre uma das personagens mais interessantes da série: condessa viúva Violet Crawley, a mãe de Robert. Ela é interpretada por Maggie Smith (sim, lá de Harry Potter) e através dela nós conseguimos ver muita coisa. Ela é a mais velha dentre os personagens e a mais conservadora. Ela não consegue entender essas coisas do “mundo moderno” e fica ultrajada se alguém erra de figurino na hora do jantar. E isso representa claramente o período em que a série se passa, um período de mudanças muito grandes em diversas áreas, inclusive no convívio social, no vestuário e na vida das famílias aristocráticas. Em diversos momentos a série nos confronta com esse choque entre o antigo e o novo e a personagem está ali justamente para ajudar a fazer esse paralelo. Mas ela também tem seu lado “coração mole” dependendo da situação. Ela tem as melhores tiradas e é extremamente sarcástica, seu ódio pelos americanos é muito engraçado, principalmente quando a mãe de Cora, que é americana, está em cena.


Eu acredito que o ponto principal que me fez gostar tanto foi que eu fiquei envolvida na história. Eu ri, chorei (bastante) e fiquei ansiosa para saber o que aconteceria em seguida. A série trata de assuntos muito importantes mas traz também muita emoção, o que apela para o nosso lado emocional. É extremamente bonita, os cenários e figurinos são excelentes. As filmagens na casa se passam em uma propriedade real chamada Highclere Castle, que fica na Inglaterra e é, inclusive, aberta a visitação.

A série foi indicada ao Emmy de melhor série dramática de 2011 a 2016, não tendo ganhado nenhuma das vezes mas tendo ganhado outros prêmios do Emmy e também do Golden Globe. Ela foi extremamente aclamada pela crítica durante suas 6 temporadas. Eu, inclusive, conheci a série assistindo ao Golden Globe. As 6 temporadas são compostas por 52 episódios e ao final de cada uma, com exceção da primeira, tem um especial de mais de 1h de duração. Ela foi finalizada em 2015 e infelizmente saiu do catálogo da Netflix no início deste ano, mas vale muito a pena correr atrás para assistir! 

Acho que vou parar o post por aqui porque senão eu iria escrever muito mais, mas acho que já consegui passar um pouquinho da minha experiência com essa série maravilhosa, apesar de não ter conseguido falar sobre todos os personagens que eu queria. Espero realmente que vocês assistam à série e deem uma chance pra esse drama de época incrível! Espero também que tenham gostado do post, deixem seus comentários porque eu adoro ler as opiniões de vocês e interagir!


12 comentários:

  1. Oii Thalita. Eu tenho uma amiga que é apaixonada por essa série e de tanto ela falar me sinto convencida a ler. Agora com sua resenha com certeza estou necessitada.
    O ponto que mais me chamou a atenção foi com certeza as diferenças entre as irmãs pela fuga, mas também o aperfeiçoamento do caricato. Por Marg ser a "mais importante" acho bacana terem lhe dado esse ar prepotente. Deixa tudo mais interessante.
    Beijos.
    Blog: fanficcao.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jessica! Tomara que você siga mesmo a recomendação da sua amiga! Fico feliz que o post tenha ajudado a te convencer mais um pouquinho. Realmente a questão entre as irmãs e um dos pontos centrais da série, emuito incrível!!
      Beijos!

      Excluir
  2. Olá! Li esse post no momento certo, porque estava doida para iniciar uma série nova, mas perdida diante de tantas opções. E por incrível que pareça, tinha esquecido de Downton Abbey (sempre sentia interesse quando assistia as premiações). Adoro histórias com plano de fundo histórico, que retrata a realidade de épocas diferentes e complicados, principalmente um período tão difíceis para as mulheres, que não tinham autonomia nem para herdar a herança da família. :( Adorei a recomendação Thalita, vou começar a assistir o quanto antes. :)

    http://abducaoliteraria.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gisele!!
      Fiquei muito feliz com o seu comentário e em saber que vai dar uma chance à série! Ela aborda sim vários aspectos sobre a situação da mulher no período retratado e é muito interessante de se ver, espero muito que você goste tanto quanto eu!
      Beijos!

      Excluir
  3. Oi Thalita! Eu adorei, já tinha passado pela série enquanto fazia a famosa busca de algo na tb hhehehe mas nunca parei pra entendê-la mesmo. Sua resenha ficou muito boa, não só entendi como gostei e quando tiver oportunidade irei assistir :)
    A trama, o figurino (maravilhoso) e os dramas casam perfeitamente!

    osenhordoslivrosblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!!
      Ahhh você não sabe como é bom ler isso!! Fico muito feliz mesmo que tenha gostado!! Quando assistir me fala! O figurino é realmente maravilhoso e nem pude colocar tudo de lindo que tem por lá, senão iria encher o post de fotos.
      Beijos!!

      Excluir
  4. Aaaaah que post lindo, amo demais essa série e também estou louca para falar dela lá no blog. Menina amo demais essa interação entre os empregados e patrões, e o efeito que um tem no outro,e também essa questão que você levantou do choque entre o antigo e o novo é muito bacana. Nossa, essa série me emociona demais sempre choro em todos os episódios hahahah

    Minhas personagens preferidas são Sybil e Violet Crawley. <3
    Também acho que todos deveriam assistir.
    ADOREI o post Thalita!

    Bjokas da Elo!
    http://cronicasdeeloise.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ooi Elo!! Ahhhh menina eu também emociono muito, o tanto que eu já chorei com essa série, nem sei. Muito legal achar alguém que já assistiu, porque eu não conheço uma alma se quer que já tenha assistido... Fico muito feliz que tenha gostado do post, quando falar sobre ela lá no seu blog me avisa!!
      Beijos!!!!

      Excluir
  5. Oiii, tudo bem?
    Todas as vezes que vou na Saraiva vejo o box dessa série e acho TÃO LINDO. Eu amei o POST precisava desse incentivo pra começar a assitir.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ooi! Por aqui está tudo bem, e aí?
      O box é lindo mesmo!! Um dia vou comprar pra mim! Fico muito feliz que tenha gostado e espero que assista (e goste)!
      Beijos!

      Excluir
  6. Eu tinha o livro dessa série. Pensem num livro lindo! Uma fotografia mais linda que a outra, mas ainda sim não conseguiu me conquistar.. não sei, acho que não estou numa fase que queira ver séries ou ficar em um projeto muito tempo. Beijos ~Elis Blog Pretenses

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Elis!! Ainda não vi nada sobre o livro, mas imagino que seja lindo mesmo, assim como a série! Ah, realmente às vezes acontece de não conseguirmos continuar assistindo algo, e super normal!
      Beijos!!

      Excluir